Ciclistas do Luso África entregaram donativo de 15.000 randes à Missão de S. Roque em Matutuine

0
47
Ciclistas do Luso África

Ciclistas do Luso África Desde 2008 que a Secção de Ciclismo do Luso África Sports & Cultural Organization realiza todos os anos a grande jornada a pedal de 685 kms em 4 dias, que liga Joanesburgo a Maputo.

 “Suar para Ajudar” tem a sua saída da sede do Luso África, em Primrose, com paragens para pernoita em Groblersdal, Lydenburg e Malelane na África do Sul, sendo a meta na Costa do Sol, em Maputo, capital de Moçambique.
 Os dinâmicos organizadores na África do Sul foram Joaquim Melo (083 291 7645) e Tony Estrela (082 602 3003, elementos de ligação com Moçambique, cuja equipa promotora em Maputo recebeu gene-rosos patrocínios de Terra Mar (Tony Diogo), Hotel Turismo (dr. Sérgio Moreira), Restaurante Serra da Estrela (José Silva) e Aidex (Tomané Amaro).

* INICIATIVA CONJUNTA DE DESPORTO E DE SOLIDARIEDADE

 Esta iniciativa conjunta de desporto e solidariedade social tem vindo a crescer de ano para ano, registando-se que em 2009 participaram 22 ciclistas e este ano 29. Está em diálogo a possibilidade de ciclistas de Nelspruit se juntarem ao pelotão em 2011 para fazer a última etapa até Maputo.
 Este ano, os ciclistas do Luso África fizeram a entrega de um cupão de compras no valor de 15.000 randes à Missão de São Roque, de Matutuíne, Bela Vista, Maputo.
 Na altura da entrega às duas representantes daquela instituição, estavam presentes todos os participantes da jornada “Suar para Ajudar”, tendo, juntamente com o presidente e vice-presidente da Secção de Ciclismo, respectivamente Tony Marques e Manuel Costa, o presidente da Direcção do Luso África, Paulo Estrela, feito uma intervenção alusiva e procedido à oferta do donativo, a fim de ser a própria Missão a adquirir os produtos que necessita.
  A organização, em Mo-çambique opera sob o lema “Unidos pela mesma causa – Maputo está convosco”, tendo no jantar no Restaurante Serra da Estrela sido entregues pequenas lembranças de grati-dão aos patrocinadores, entidades oficiais e comunicação social.

* MOMENTO DE ALTA EMOÇÃO E SAUDADE

 Na última etapa, os ciclistas dr. Mário Martins (advogado), Rui Pereira e Aníbal Peleias, juntamente com dez ciclistas de Moçambique juntaram-se ao pelotão.
 Esta última etapa trouxe um trubilhão de saudade e emoção sem limites aos irmãos Carlos e Tony Martins, ao entrarem a pedalar na capital moçambicana, donde Carlos Martins estava ausente desde 1974, portanto há 26 anos, e o seu irmão Tony Martins, ex-campeão  de ciclismo de Moçambique, circulou pelas ruas que tão bem conhecia e onde obtivera o prestigioso título máximo do ciclismo de Moçambique. Ambos não conseguiram conter lágrimas de alegria ao voltar de novo, a pedal, à cidade das acácias rubras.
 Contactados pela Reportagem do “Século de Joanesburgo”, os organizadores na África do Sul Joa-quim Melo e Tony Estrela referiram que “as despesas dos ciclistas desde a partida do Luso África até chegar à fronteira de Moçam-bique foi de 96.221 randes”.
 Observaram ainda que a Secção de Ciclismo do Luso África  irá distribuir donativos em géneros, produtos de limpeza e vestuário a quatro organizações de ajuda a carenciados na RSA, que, oportunamente, serão escolhidas”.
 Explicaram ao nosso Jor-nal que “cada ciclista inscreve-se para participar na jornada Suar para Ajudar, pagando 3.500 randes, parte dos quais são para pagar as estadias em Grobersdal, Lydenburg e Malelane, e outra parte para o donativo a entregar em Maputo, obviamente com outros patrocínios”.

* OS 29 CICLISTAS E 3 MOTORISTAS

 Regista-se que “participaram na jornada de 685 kms de Primrose a Maputo os ciclistas do Luso África Sports & Cultural Association – Paulo Cunha, José Cunha, Jorge do Carmo, Helder Alves, Fabio Taddei, Tony Martins, Carlos Martins, Jorge Pires, Armando Tedeschi, Tony Marques, Joaquim Melo, Nuno Tro-cado, Paulo Estrela, Tino Garcia, Juan Garcia, Seve Garcia, João dos Santos, Roger Rush, Remo Pasquali, Angelo Frantzeskos, Graeme Wilson, Jorge Faria, Cláudio Trocado, Paulo Silva, Dean Versace, David Melim, António Gilberto Gouveia, Paulo Contreiras e Manny Costa”.
 Acompanharam os cliclistas nos carros de apoio os condutores Alex Kioilos, António Pinto e Tyrone van der Merwe.
 Recorda-se que este projecto teve início em 2008 como preparação física para as competições “94.7” (Joanesburgo) e “Cape Argus” (Cidade do Cabo), a adicionar às desloca-ções, também de treino, entre Joanesburgo e Dur-ban.
 O ciclista Joaquim Melo teve a ideia de propor que se fizesse o itinerário Joanesburgo-Maputo, após o que a Secção de Ciclismo assumiu integrar a tónica de solidariedade e, assim, começou 685 kms em 4 dias “Suar para Ajudar”.

* O MAIS NOVO COM 19 ANOS E O MAIS IDOSO COM 68 ANOS

 O pelotão foi constituído por portugueses, luso-descendentes, italianos e sul-africanos. O ciclista mais novo foi o luso-descendente Juan Garcia, de 16 anos, e o mais idoso, o ita-liano Remo Pasquali, de 68 anos. Regista-se ainda que no ano interior foi o irmão mais novo, Seve Garcia, que tinha então 18 anos.
 Assinala-se a destacada colaboração da Polícia Na-cional de Moçambique, que escoltou o pelotão a partir da fronteira de Res-sano Garcia até à meta na Costa do Sol, em Maputo.

* CIRCUITO DOS CAMPEÕES

 Foi revelado ao nosso Jor-nal que “no próximo ano pretende-se que a jornada desportiva e de solidariedade ‘Suar para Ajudar’ inclua na capital moçambicana o Circuito dos Campeões, uma prova que se pretende reactivar pela Secção de Ciclismo do Luso África em articulação com os organizadores em Moçambique de “Unidos pela mesma causa – Mapu-to está convosco”.