Celebração virtual da herança de Rhode Island comemora culturas lusófonas

0
112

O Galo de Barcelos e a cultura de Cabo Verde são alguns dos protagonistas da celebração virtual da herança cultural de Rhode Island, nos Estados Unidos da América (EUA), disse à Lusa a coordenadora Donna Alqassar.

Com uma história de 41 anos, o festival anual da Herança Cultural de Rhode Island foi adaptado, pela primeira vez, para uma celebração virtual, que tem lugar todos os sábados do mês de Setembro.

Donna Alqassar, coordenadora da comissão de herança e preservação histórica de Rhode Island, considerou que as reuniões ‘Zoom’ são uma boa oportunidade para os grupos culturais se exporem e para o público aprender sobre a diversidade do estado, onde se estima que esteja localizada a terceira maior comunidade portuguesa dos EUA.

A celebração incluiu a apresentação da missão do subcomité da Herança Cabo-Verdiana em Rhode Island, uma explicação da história e demonstração do Galo de Barcelos, assim como performances de dança e música de outros países.

Donna Alqassar referiu que ficou a saber, através de membros da comunidade, que o Galo de Barcelos é “um símbolo português de integridade e honestidade”, acrescentando: “É por isso que adoro tanto este festival, porque eu também estou a aprender”.

A responsável elogiou o Subcomité da Herança Cabo-Verdiana, “provavelmente o maior e mais activo grupo cultural de Rhode Island”, que participou no evento virtual.

A associação cabo-verdiana explicou a sua missão através de vídeos. “Estou muito entusiasmada por o público poder aprender mais sobre este grupo dinâmico”, disse Donna Alqassar.

Outra organização que mereceu os elogios da coordenadora foi a Rhode Island Day of Portugal, que se empenha muito na difusão e conhecimento da cultura lusa na comunidade e envolvida na organização do festival da herança, como promove também um festival português anual.

“Sou fascinada pelos povos lusófonos e estou tão contente por termos essa presença no nosso festival”, declarou a coordenadora.

Os grupos que participam com performances ou demonstrações no festival, que durante 40 anos consecutivos foi realizado na cidade de Providence, beneficiam de terem uma voz entre a sociedade civil e entre os decisores políticos.

O Festival da Herança de Rhode Island reúne cerca de 500 pessoas anualmente na cidade de Providence, na ideia de partilhar o melhor de cada uma das culturas que formam a população daquele estado, em que a população de origem lusa é a terceira maior dos Estados Unidos.

Este ano, devido à pandemia de covid-19, a celebração tornou-se, como em muitos outros casos, virtual.

A criação desta programação ‘online’ levou à criação de mais conexões, congratulou-se a responsável, que iniciou o cargo em Março de 2019, com o objectivo de conseguir mais contactos, divulgação e renovação do envolvimento dos grupos e da comunidade.

Donna Alqassar explicou que o Festival da Herança de Rhode Island é uma exposição das várias culturas que se estabeleceram no estado e que a celebração na cidade de Providence conta, normalmente, com áreas de vendas, de comida, de diversão, uma área para as crianças e outra de demonstrações de trabalhos manuais e exposição de objectos e símbolos próprios de cada cultura.

Todos os anos, o “passaporte internacional” oferecido pelo festival permitia visitar as várias áreas e mesas de informação e também coleccionar carimbos de cada país.

“Estamos no processo de tentar revigorar o programa e trazer mais tráfego, que esperamos atingir com a celebração virtual”, disse a coordenadora da comissão de herança cultural, prometendo que “cada semana é diferente da outra, com diversos grupos culturais, performances e aulas, demonstrações”.