Casamento real: Evento coloca Scotland Yard em alerta máximo

0
62
Casamento real: Evento coloca Scotland Yard em alerta máximo

Casamento real: Evento coloca Scotland Yard em alerta máximoO casamento entre o príncipe William e Kate Middleton colocou a Scotland Yard em estado de alerta máximo, com a Polícia britânica a temer uma eventual ameaça terrorista, mas também movimentos anti-monarquia e anarquistas.

 Londres elevou para “grave” (o segundo nível numa escala de cinco) o nível de alerta para atentados terroristas, o que significa que um ataque é “altamente provável”.
 A Scotland Yard terá quase cinco mil agentes mobilizados em Londres para garantir uma total segurança, tarefa que será bastante complicada, tendo em conta uma combinação invulgar de ameaças.
 Diversos grupos, desde a al-Qaida aos movimentos anarquistas, estão na mira da Polícia num evento que vai reunir a “elite” do Reino Unido e uma multidão de curiosos.

 Dois grupos radicais, “Muslims Against Crusades” (Muçulmanos contra as Cruzadas, em português) e “English Defence League” (extrema-direita), pediram autorização para protestar do lado de fora da Abadia de Westminster no dia 29, dia do casamento, segundo a Polícia britânica.
 Para o cronista real Rob Jobson, que conhece o sistema de segurança da família real até ao mínimo detalhe, o dia 29 de Abril será “um grande evento”.
 “O SO14, a unidade [da Polícia] formada para a protecção da família real será a responsável directa pela protecção pessoal” do jovem ca-sal, com “quatro elementos a acompanhar Kate Middleton e outros quatro elementos a vigiar o príncipe William”, afirmou o especialista.
 O plano de segurança prevê ainda que o percurso seja vigiado em duas frentes: por agentes à civil infiltrados na multidão e por atiradores de elite nos telhados da capital britânica.

 Um apertado perímetro de segurança, abrangendo todos os locais do evento, estará em vigor a partir da madrugada de 29 de Abril, especialmente em redor da abadia de Westminster, onde a cerimónia religiosa terá lugar, e o Palácio de Buckingham, a residência oficial de Isabel II.
 A circulação será totalmente proibida dentro deste perímetro.
 O chefe da Polícia metropolitana de Londres, Bob Broadhurst, admitiu que os polícias irão recorrer a medidas excepcionais para revistar pessoas consideradas como suspeitas na via pública.

 O responsável mencionou ainda a hipótese de os convidados terem de ser revistados.
 Segundo o comandante, os grupos anarquistas que vandalizaram lojas e monumentos nos recentes protestos em Londres contra as medidas de austeridade do Governo britânico, a 26 de Março, poderão estar a planear mais desacatos durante o casamento.
 “A Polícia está pronta para utilizar todos os meios razoáveis para garantir que o casamento seja um sucesso e tais comportamentais lamentáveis não irão repetir-se”, afirmou o presidente da Câmara de Londres, Boris Johnson.

 Os movimentos anti-monárquicos europeus poderão ser outro dos focos de preocupação das forças de segurança, uma vez que o casamento real será encarado por estes grupos como uma “oportunidade de ouro” para promover a causa republicana.
 Também as forças armadas britânicas estarão na rua no dia do casamento.
 O Ministério da Defesa britânico divulgou que mais de mil militares e músicos militares estarão alinhados ao longo do cortejo real e que aviões da II Guerra Mundial e jactos de combate irão sobrevoar o Palácio de Buckingham após a cerimónia religiosa.
 O casamento de William e Kate poderá ser encarado como um primeiro grande teste para as forças de segurança britânicas, que enfrentam em 2012 a organização dos Jogos Olímpicos em Londres.

* Príncipe William um “rei” do século XXI

 Profissional, confiante e afável são alguns dos traços de personalidade atribuídos ao príncipe William, segundo na linha de sucessão do trono britânico e protagonista de um dos eventos mais mediáticos do ano.
 No próximo dia 29 de Abril, William, o primogénito do príncipe Carlos de Inglaterra e Diana de Gales, irá casar-se com a plebeia Kate Middleton, na Abadia de Westminster, em Londres, acontecimento que será seguido por milhões de pessoas em todo o mundo, segundo as mais recentes previsões.
 William Arthur Philip Louis nasceu a 21 de Junho de 1982 no hospital Saint Mary, no bairro londrino de Paddington. Na altura, Carlos e Diana eram vistos pela opinião pública como um casal saído diretamente de um conto de fadas.

 Canhoto, tímido, mas com um grande sentido de humor, William é um fervoroso adepto das novas tecnologias, sendo mesmo um dos principais responsáveis pela adesão da rainha Isabel II ao mundo da Internet.
 A Geografia e o desporto são outras das suas paixões. William pratica natação, rugby, futebol e pólo aquático.
 Muitos dizem que William herdou os traços físicos e o carisma de Diana, recordada como a “Princesa do Povo”, mas o príncipe, hoje com 28 anos, sempre quis ser uma criança normal. Um dia terá confidenciado à mãe um de-sejo: “Quando for grande que-ro ser polícia”.

 Os primeiros anos escolares foram passados em escolas britânicas de elite: Wetherby School, em Londres, e a Ludgrove School, em Berkshire. Em Julho de 1995, ingressou no Eton College, instituição tradicionalista e ligada à aristocracia britânica, onde estudou Geografia, Biologia e História de Arte.
 Depois do divórcio dos pais, decretado pela rainha em dezembro de 1996, o adolescente William, com 15 anos, enfrentou o acontecimento mais marcante e trágico da sua vida.

 Em Agosto de 1997, Diana de Gales morreu num acidente de automóvel em Paris, juntamente com o seu noivo, o milionário Dodi al-Fayed.
 Ao lado do seu irmão Harry, o príncipe presidiu ao cortejo fúnebre, que paralisou a capital britânica, revelando uma maturidade e uma responsabilidade que comoveu o mundo inteiro.
 Desde esse dia, tentou preservar a memória de Diana, apoiando causas humanitárias e o trabalho de diversas organizações não governamentais (ONG).

 Após um ano sabático, em que esteve no Chile e Belize, trabalhou em quintas de produção de leite no Reino Unido e visitou vários países africanos, William ingressou na universidade St. Andrews, em Fife, na Escócia, onde acaba-ria por licenciar-se em Geografia, em 2005. Foi nesta universidade escocesa que conheceu Kate Middleton.
 Depois de um período de ex-periência de trabalho, William entrou na Academia Militar Real de Sandhurst, como cadete.
 Em Dezembro de 2006, foi graduado como oficial do exército em frente à rainha Isabel II em Sandhurst, tendo ingressado na cavalaria Blues and Royals da Household Cavalry do exército britânico como segundo-tenente.

 Apesar de manter a patente de tenente, William é actualmente um piloto de operações de buscas e regaste da Força Aérea real britânica, unidade localizada em Anglesey, País de Gales.
 A questão da sucessão foi sempre uma ideia bem presente na vida e na educação de William e o anúncio do seu casamento com Kate Middleton reavivou o debate na sociedade britânica.
 A ideia de ter um casal jovem a liderar uma das mais antigas monarquias do mundo é encarada por muitos como apelativa e necessária e William e Kate já são encarados como os “reis” do século XXI.

* Kate Middleton  uma jovem discreta da classe média

 Catherine Elizabeth Middleton, que vai casar a 29 de Abril com o príncipie William, nasceu a 9 de Janeiro de 1982, é a mais velha dos três filhos de Michael e Carole Middleton e até agora tem-se distinguido pela discrição.
 Em Maio de 1984, com dois anos, Kate Middleton mudou-se com a família para Amã, na Jordânia, onde o pai trabalhou dois anos e meio.
 No regresso, em Setembro de 1986, a família instalou-se em Berkshire (sul de Inglater-ra) numa casa modesta na aldeia de Bradfield.

 Catherine começou a frequentar a St. Andrew’s School, onde estudou até Julho de 1995. Ingressou depois no colégio de Marlborough, um seleto internato localizado no condado de Wiltshire, onde estudou também Samantha Cameron, mulher do primeiro-ministro britânico.
 Kate permaneceu no colégio até Julho de 2000. Seguiu-se a universidade de St. Andrews onde viria a formar-se em História da Arte.
 Foi nesta universidade escocesa que conheceu o príncipe William. O romance entre os dois começou em 2003, mas foi interrompido em 2007, sendo depois reatado.

 Na universidade, os dois tiveram uma vida descrita como normal e só depois de Kate se instalar em Londres após os estudos começou a ser alvo da imprensa, sobretudo durante a breve ruptura da relação. Depois de anunciado o casamento, a família Middleton começou também a atrair o olhar dos ‘media’.
 O pai de Kate começou por trabalhar como funcionário da British Airways e a mãe era hospedeira de bordo, mas a família viria a fazer fortuna na venda de material para festas depois de ter criado há 23 anos a empresa “Party Pieces”.

 O sucesso do negócio permitiu aos Middleton comprar uma casa luxuosa na mesma região de Berkshire.
 A noiva do príncipe William trabalhou até há pouco tempo, tal como os irmãos mais novos, James e Philipp, na sociedade da família e não tem uma profissão oficial.
 Magra e de cabelos longos e castanhos, Kate Middleton tem sido citada pela imprensa pela sua elegância e descrita como “uma princesa moderna, que vive no mundo real”.