Cantores portugueses nas comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro

0
51
Cantores portugueses nas comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro

Os cantores António Zambujo e Carminho são a grande atracção do "Festival Portugal no Rio", iniciativa da Fundação Luso-Brasileira, em parceria com o Comité Rio450, para comemorar os 450 anos de fundação da cidade do Rio de Janeiro.

 Os dois artistas, que nunca se apresentaram juntos durante as suas carreiras, farão um espetáculo no dia 20 de junho, no Teatro Cidade das Artes, na Barra da Tijuca.

 A fadista Carminho é bem conhecida do público brasileiro. Em 2013 participou na abertura do Carnaval do Recife, em Pernambuco, e os seus espectáculos têm sempre lotação esgotada no Rio de Janeiro e em São Paulo.

 O último espectáculo de Carminho no Rio de Janeiro foi em abril, para o lançamento do álbum "Canto", no Vivo Rio, no Aterro do Flamengo.

 Já o cantor e compositor António Zambujo tem uma história de relação com o Brasil mais antiga, com apresentações em palcos nacionais desde o ano de 2009. Tam-bém no mês de abril teve um concerto no Rio para lançamento do seu novo disco "Rua da Emenda".

 O compositor Rodrigo Leão, acompanhado da Orquestra Sinfónica Brasileira, vai fazer uma apresentação no dia 14 de junho com a sua banda, na Cidade das Artes, Rio de Janeiro.

 O festival Portugal no Rio conta ainda, na programação, com uma exposição, Tatuagens Urbanas e o Imaginário Carioca, com abertura dia 11 de junho no Museu Histórico Nacional.

 A mostra ficará em cartaz até o dia 1 de agosto.

 Um outro grande presente para a cidade será a ida de um conjunto de calceteiros para o Rio de Janeiro, para realizarem uma obra de colocação de calçada portuguesa na área do Porto, zona da cidade que está a ser alvo de reabilitação.

 O grupo de profissionais iniciará esse trabalho no dia 11 de junho.

 Haverá, também, um seminário sobre calçada portuguesa no Museu Histórico Nacional, dia 23 de junho, e oficinas de formação para aprendizagem do ofício de calceteiro, no Palácio de São Clemente, em Botafogo, de 15 de junho a 13 de julho.

 A calçada portuguesa foi introduzida nos pavimentos da cidade do Rio de Janeiro pelo prefeito Pereira Passos, no início do século XX e, hoje, constitui uma marca turística da cidade.

 A calçada portuguesa pode ser encontrada à beira-mar, nas praias de Copacabana, Leme, Ipanema, Leblon e na Barra da Tijuca, no Centro do Rio e na Zona Norte, no bairro de Vila Isabel.

 

* Centenas de artistas em circulação pelo país por causa dos festivais de verão

 

 Patti Smith, Blur, Muse, Caetano Veloso & Gilberto Gil, John Legend e Tame Impala são alguns dos artistas que actuarão em Portugal, em ambiente de festival de verão, num ano em que a música portuguesa volta ter maior protagonismo.

 Até setembro, centenas de artistas portugueses e estrangeiros circularão por Portugal, alimentando o calendário de festivais de música, que começa esta quinta-feira, com o Nos Primavera Sound, no Porto.

 A quarta edição do festival no Parque da Cidade, no Porto, contará com duas actuações da cantora norte-americana Patti Smith, a estreia da britânica FKA Twigs, a reunião dos britânicos Ride e Underworld e os regressos de Belle & Sebastian e Interpol, entre outros.

 Julho começa com o Sumol Summer Fest, na Ericeira, com Buraka Som Sistema, Chance the Rapper – em estreia em Portugal -, Rudimental ou Richie Campbell, sendo depois dominado pelos festivais Nos Alive (Algés), Super Bock Super Rock (SBSR, Lisboa), EDP Cool Jazz (Oeiras), Meo Marés Vivas (Gaia) e Festival Músicas do Mundo de Sines.

 O Alive decorrerá de 9 a 11 de julho com mais de trinta artistas, entre os quais Muse, Ben Harper, The Prodigy, James Blake, Future Islands e Disclosure, enquanto o SBSR, a cumprir vinte anos, se muda do Meco para o Parque das Nações, em Lisboa, com Blur, Sting, Florence + The Machine, dEUS e Sérgio Godinho com Jorge Palma.

 O Cool Jazz será palco de actuações de nomes sonantes do jazz e da música brasileira: um dueto ao piano com Chick Corea e Herbie Hancock e um encontro de celebração de meio século de carreira, de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

 O Marés Vivas, de 16 a 18 de julho, em Gaia, terá John Legend, Blind Zero, Lennny Kravitz, Jamie Cullum e Ana Moura, enquanto o FMM de Sines dá a volta ao mundo com músicos como Salif Keita, Soema Montenegro, Toumani & Sidiki Diabaté, Ricardo Ribeiro e DJ Marfox.

A fechar julho, o Milhões de Festa, no parque fluvial de Barcelos, reúne Deerhoof, THEEatisfaction, Michael Rother e os portugueses Riding Pânico e Medeiros/Lucas, entre outros.

 Agosto é sinónimo de Meo Sudoeste, na Zambujeira do Mar, e Paredes de Coura, no Minho, mas há outros dois festivais que ganharam protagonismo recente, feitos de música portuguesa e lusófona: o Bons Sons, na aldeia de Cem Soldos, Tomar, e Sol da Caparica, em Almada.

 O Sudoeste posiciona-se mais virado para a música electrónica e hip hop, contando com Calvi Harris, Carlão, Hardwell, Anselmo Raplh, Steve Aoki, Regula e Mundo Secreto. Já o Paredes de Coura, com o cartaz ainda por fechar, terá Tame Impala, Father John Misty, War on Drugs e Charles Bradley.

 Na pequena aldeia de Cem Soldos este ano acontecerá o Bons Sons (o festival passa a ser anual), ponto de passagem de artistas portugueses de vários géneros musicais. Os Clã, Ana Moura, Bruno Pernadas, Camané, Tó Trips, Salto ou Duquesa são alguns dos convidados.

 Perto da praia, o Sol da Caparica convoca o público para concertos que incluem, por exemplo, os Resistência, Jorge Palma, Brigada Victor Jara, Linda Martini, Agir e Xutos & Pontapés.