Cabo-verdiana Elisabeth Moreno é a nova ministra francesa da Igualdade do Género

0
64

 O Presidente francês, Emmanuel Macron, nomeou a cabo-verdiana Elisabeth Moreno ministra da Igualdade de Género do novo Governo, chefiado por Jean Castex. O novo Executivo tem 16 ministros e 14 secretários de Estado.

  Formada em Direito e com um mestrado em Direito Comercial e uma MBA Global Business, Elisabeth Moreno nasceu no Tarrafal, no norte da ilha de Santiago, em Cabo Verde, em 1970

  Aos seis anos de idade emigrou para França com os pais e depois dos estudos fez uma carreira de empresária e gestora.

  No momento em que é chamada para o Governo francês, era directora para África da multinacional de informática HP, instalada na África do Sul.

  Antes, desempenhou cargos de direcção nas empresas de teconologia Lenovo e Dell.

  Elisabeth Moreno é activa nos círculos de negócios entre a França e África.

  Em 2005, ela fundou o Cabo Verde Business Club, destinado a promover as relações comerciais entre empresas francesas e cabo-verdianas e, em 2008, esteve na origem da fundação da Casa Cabo Verde em Paris, uma associação que presta assistência à comunidade cabo-verdiana.

 

* Cabo Verde satisfeito com Elisabeth Moreno no executivo francês

 

  Em Cabo Verde a nomeação de Elisabeth Moreno como ministra delegada do governo francês, foi recebida com “orgulho e satisfação” pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

  O Chefe de Estado cabo-verdiano desejou sucessos à ministra francesa de origem cabo-verdiana. Jorge Carlos Fonseca acredita que esta nomeação pode “potenciar um relacionamento relevante entre Paris e Praia”.

  As ligações aéreas e marítimas entre todas as ilhas de Cabo Verde vão ser retomadas na quarta-feira, 15 de Julho, com “precauções redobradas” de controlo sanitário, garantiu o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva.

  A Guiné Bissau registou na sexta-feira, 10 de Julho, 1.842 infecções e 26 mortes de Covid-19. O governo mandou reabrir os lugares de culto religioso e prepara-se para retomar as aula ainda, segunda-feira. Os alunos e os professores mostram-se cépticos com a medida.