Brasil reforça linha de crédito a Angola para 5 biliões de dólares

0
49
Brasil reforça linha de crédito a Angola para 5 biliões de dólares

O Brasil vai aumentar até 5 biliões de dólares (3,7 biliões de euros) a linha de crédito ao dispor de Angola, de 3,5 biliões, para investimentos no sector da energia, disse fonte oficial brasileira.

 “Em Janeiro (de 2012) deve ir ao Brasil uma missão técnica do governo angolano para negociar com o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) o destino final dessa nova linha, que vai possibilitar investimentos na área da energia, basicamente”, disse, em Luanda, Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil.
 O governante salientou que o aumento da linha de crédito tem a ver com o programa de investimentos angolanos.
 “É um programa muito extenso do governo angolano que o Brasil quer ajudar, quer participar e quer financiar”, acrescentou.
 Quanto ao prazo de pagamento, Fernando Pimentel relevou as “boas contas” existentes entre os dois países, considerando que Angola é “um excelente pagador”, razão por que o Brasil “não vê qualquer dificuldade em expandir o financiamento”.
 “Os empréstimos do Brasil a Angola são em geral longos, com prazo de 20, 25 ou 30 anos”, concluiu.
 O ministro falava à margem do encontro entre empresários brasileiros e angolanos que lançou a estada em Angola de uma missão empresarial brasileira, visando fundamentalmente estreitar as relações comerciais bilaterais.
 Esta missão brasileira ocorre um mês após a visita oficial da Presidente brasileira Dilma Rousseff a Angola.

* Crédito para  a venda de seis aviões militares

 O Brasil e Angola concluíram um contrato de empréstimo  de 300 milhões de dólares (224,9 milhões de euros) para a venda de seis aviões militares Super Tucano à Força Aérea angolana, disse fonte do governo brasileiro.
 “Angola vai receber até ao final do ano um crédito para a aquisição de seis aviões militares Super Tucano para a Força Aérea, que já estava sendo negociado desde o início do ano. O contrato foi finalizado agora”, afirmou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Fernando Pimentel.
 O governante brasileiro disse não ter a certeza do valor exacto do empréstimo, que foi negociado entre o Banco Nacional de Desenvolvimento do Brasil (BNDES) e as autoridades angolanas, mas assegurou que será um montante próximo de 300 milhões de dólares.
“O desembolso será feito ainda em Dezembro e Angola receberá no início do ano os seis aviões militares”, concluiu o ministro brasileiro.