Brasil quer ser parceiro de Portugal na luta contra a crise econômica

0
39
Brasil quer ser parceiro de Portugal na luta contra a crise econômica

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, afirmou na 2.ª feira em Lisboa que o Brasil está a ver o esforço do povo português no combate à crise eco-nómica e que o seu país quer ser um “parceiro solidário”, fomentando o intercâmbio entre as duas nações.

 “O Brasil acompanha com atenção o esforço do povo português para atravessar uma circunstância económica desafiante”, declarou Dilma Rousseff.

 A Presidente do Brasil fez estas declarações durante o seu brinde no jantar oferecido pelo Presidente Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Que-luz.

 “Queremos ser parceiros solidários e fomentar um intercâmbio crescente. Afinal, os verdadeiros amigos são aqueles que se fazem presentes nos momentos de dificuldades”, disse.

 A Presidente afirmou que os brasileiros conhecem a história de Portugal, “a grandeza de seu povo, a energia de seu espírito empreendedor: somos um pouco herdeiros destas qualidades, sabemos que as dificuldades transitórias serão superadas”.

 Nas “conversações de hoje, constatamos que o nosso comércio bilateral continua importante, ainda que saibamos que pode progredir mais”, sublinhou, saudando a expansão de nossos investimentos recíprocos, que “se elevam a níveis impressionantes”.

 De acordo com a Presidente, a expansão do emprego e o aumento do rendimento de milhões de brasileiros nos últimos dez anos, “abrem perspectivas sem precedentes de desenvolvimento sustentável” ao seu país.

 “Queremos os investimentos, os técnicos portugueses presentes, queremos relações comerciais dinâmicas nessa nova etapa económica e social do meu país”, disse ainda.

 “Da mesma forma, as empresas brasileiras que estão aqui chegando, sobretudo em sectores estratégicos, contribuirão para dar novo dinamismo na economia portuguesa”, acrescentou.

 A Presidente brasileira sublinhou a importância da cooperação entre os dois países nas áreas da educação, ciência e tecnologia.

Recordou o início das navegações portuguesas, “a primeira tentativa de globalização que se tem notícia”, e as excelentes relações que sempre existiram entre os dois povos.

 Dilma Rousseff ergueu um brinde em homenagem ao Presidente Cavaco Silva, em homenagem ao povo português e à amizade entre os dois povos.

 No jantar, estiveram presentes várias autoridades portuguesas e brasileiras e muitas personalidades da sociedade portuguesa.

 Na sua segunda visita oficial a Portugal, a coincidir com o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a Presidente brasileira também participou na cerimónia de entrega do Prémio Camões ao escritor moçambicano Mia Couto, também no Palácio de Queluz.

 Dilma Rousseff viajou acompanhada nesta visita por uma comitiva com sete ministros.

 A governante encontrou-se com Mário Soares num hotel de Lisboa e reuniu-se também com o Presidente Aníbal Cavaco Silva, em Belém, e com Pedro Passos Coelho, na residência oficial do primeiro-ministro português.

 A Presidente brasileira chegou no domingo a Portugal e foi recebida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, no aeroporto de Figo Maduro, tendo mantido ainda um encontro com o secretário-geral do PS, António José Seguro, num hotel de Lisboa.