Braga “guerreiro” dá a volta ao marcador e vence o líder Benfica

0
27
Braga

O Sporting de Braga venceu o líder Benfica por 2-1, com golos de Éder e Salvador Agra, contra um de Talisca, num jogo electrizante da oitava jornada da I Liga de futebol em que começou a perder.

 Num grande jogo de futebol, na intensidade fez lembrar os da "Champions", como antecipara Jorge Jesus na véspera, o Sporting de Braga levou a melhor sobre um Benfica que até entrou mais forte (marcou logo aos dois minutos), mas não resistiu à forte reacção minhota, sobretudo na segunda parte.

 O Benfica esteve muito perto do empate no último minuto da partida (90+6 minutos), mas Matheus, com duas defesas fabulosas, primeiro a cabeceamento de Jonas, depois a recarga de Maxi Pereira, segurou o importante triunfo.

 Sérgio Conceição tem também mérito na vitória dos minhotos, porque mexeu melhor na equipa do que Jorge Jesus, que só fez uma substituição, tendo sido um dos ho-mens que entrou, Salvador Agra, o marcador do segundo golo, o da vitória.

 O Benfica entrou pressionado, a saber das vitórias de FC Porto e Sporting, mas teve uma entrada fulgurante em jogo, colocando-se em vantagem pouco mais de um minuto depois da partida ter começado, aproveitando um "buraco" enorme no lado di-reito da defesa bracarense.

 Eliseu simulou o remate, deixou Santos por terra e assistiu Talisca, que, no coração da área, não perdoou e inaugurou o marcador, o seu sétimo golo no campeonato.

 O Braga sentiu muitas dificuldades na fase inicial da partida, mas foi equilibrando-a e, aos 28 minutos, depois de Lima ter desperdiçado um contra-ataque perigoso, chegou ao empate na transição seguinte.

 Ruben Micael lançou Pardo, que assistiu Éder (que só foi titular porque Zé Luís se lesionou no aquecimento) e este rematou rasteiro e colocado.

 Aos 34 minutos, lance polémico na área "encarnada", com Eliseu a parecer fazer falta sobre Pardo, mas o árbitro, Marco Ferreira, nada assinalou.

 O Braga entrou melhor na segunda parte e, aos 54 minutos, Pardo foi derrubado por Lisandro na área, ficando por assinalar uma grande penalidade, mas antes já o trio de arbitragem tinha falhado já que o extremo colombiano partira em fora-de-jogo.

 Descontente, Jorge Jesus alargou a frente de ataque com a entrada de Jonas para o lugar de Samaris (62) e, cinco minutos depois, o avançado brasileiro "assustou" Ma-theus.

 Seria, contudo, o Braga a desempatar, depois de Éder ter falhado de forma incrível o seu segundo tento, por Salvador Agra: o extremo rematou forte, a bola passou por entre as pernas de Maxi Pereira e ainda embateu no poste direito (82), traindo Artur.

 O Benfica lançou-se na busca do empate e quase o conseguiu, mas o guarda-redes bracarense esteve em grande.

 Aos 86 minutos ficou outro penálti por marcar, agora a favor do Benfica, após falta de André Pinto sobre Gaitán.

Os últimos minutos ficaram marcados por uma grande confusão entre vários elementos dos dois bancos de suplentes, incluindo o treinador adjunto benfiquista, Raul José, e o técnico bracarense, Sérgio Conceição. Ambos foram expulsos.