Bombeiros Municipais de Viana vão formar colegas da cidade de Matola

0
37
Bombeiros Municipais de Viana vão formar colegas da cidade de Matola

Elementos dos Bombeiros Viana do Castelo, a única corporação profissional do Alto Minho, Portugal, vão formar colegas da cidade de Matola, em Moçambique, anunciou o autarca local.

 O anúncio foi feito pelo socialista José Maria Costa, em conferência de imprensa, no âmbito da visita de uma delegação daquela cidade moçambicana à capital do Alto Minho, que estão geminadas desde 2006.

 “A Matola é uma grande cidade, e quer organizar de uma forma mais aprofundada a área da proteção civil. Há uma experiência do corpo municipal de bombeiros que vai ser transmitida em acções de formação aos técnicos moçambicanos”, explicou José Maria Costa, que visitou aquela cidade moçambicana em 2012.

 Adiantou que está a ser estudada a forma de levar até Via-na elementos da corporação moçambicana para receberem formação dos bombeiros municipais e, posteriormente, uma delegação de profissionais da capital do Alto Minho deslocar-se-á à Matola.

 Os Bombeiros Municipais de Viana são a terceira força mais antiga do país. Contam com uma estrutura profissio-nal constituída por mais de 50 operacionais.

 José Maria Costa adiantou também que, ao abrigo de outros acordos de geminação existentes entre a Matola e várias cidades portuguesas, a cooperação nesta área poderá passar ainda pelo apetrechamento da corporação moçambicana com “alguns equipamentos”.

 “Estivémos a estudar a forma de apoiar, em articulação com outras cidades geminadas com a Matola, como é caso de Viseu, Loures e Seixal, para tentarmos encontrar um programa nacional e europeu de ajude a apetrechar a corporação moçambicana”, explicou.

A educação e a cultura são também áreas definidas como prioritárias. Já no próximo ano, Viana poderá receber escritores e artistas da Matola para participarem na Feira do Livro e na Feira de Artesana-to.

 A nível empresarial a área das novas tecnologias, já com negócios de empresários de Viana a operar em Moçambique, foi apontada como uma das possibilidades para a criação de novos investimentos.

 O recém-eleito presidente do Conselho Municipal da Matola, com cerca de 1 milhão de habitantes, referiu que apesar de Matola estar a crescer, ainda tem “muitas necessidades”.

 “Quando assumi o município inteirei-me dos acordos que existiam e vimos que Viana do Castelo respondia, em parte, ao que são as nossas necessidades. A nossa palavra de ordem é dar resposta a todos os anseios da população da Matola que nos elegeu e Viana do Castelo têm experiencia de governação para nos ajudar”, sustentou Calisto Cossa.

 O autarca da cidade capital da província de Maputo classificou como “muito positiva” a deslocação à capital do Alto Minho por considerar que foram “identificadas áreas que rapidamente poderão merecer a atenção das duas partes”.