Bodas de Ouro do casal Ivo e Teresa de Sousa

0
858

  José Ivo Gouveia de Sousa e Maria Teresa Agrela de Sousa, que a 18 de Outubro de 1970 haviam contraído matrimónio na igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Benoni, comemoraram as suas bodas de ouro matrimoniais na tarde do penúltimo domingo, 18 de Outubro, na Igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretória West, na missa em acção de graças, celebrada pelo Frei Gilberto Teixeira, acompanhado ao altar pelos padres Severino e Patrick, ambos da igreja de Pretória North, com os cânticos musicais ao órgão entoados por Idalina Alves.

  Com o privilégio de terem a seu lado neste dia tão especial das sua vidas, seus filhos Ricardo e Sérgio, suas noras Anabela e Jackie, e netos, Michael, Blaese, Pascal e Sheila, além de vários familiares e pessoas amigas, entre as quais seu sobrinho Filipe Caldeira, por quem têm um carinho muito especial e até consideram como filho, este acompanhado da esposa Jenny.

  Apenas faltou o filho mais velho Paulo, ausência plenamente justificada, dado viver há vários anos com a esposa Teresa, nos Estados Unidos da América do Norte, e como é sabido esta pandemia do “Covid-19” veio dificultar a deslocação das pessoas em viagens aéreas entre os países.

  Acabou por ser um dia abençoado, vivido com muita alegria pelo casal nestes seus cinquenta anos de vida conjugal, paralelamente difícil de esquecer por quem ali naquele dia testemunhou a sua felicidade.

  Após o acto religioso, foram proferidas em púlpito pelo filho Sérgio de Sousa e sobrinho Filipe Caldeira, palavras de muito apreço e regozijo pelo dia tão especial e abençoado que ali era vivido por seus pais e tios respectivamente.

   Juntou-se José Contente, para como actual presidente da União Portuguesa de Joanesbur-go, testemunhar o muito que Ivo de Sousa tem feito pelo associativismo, classificando-o como exemplo a seguir.

  Dirigindo-se ali por último Ivo de Sousa, para se mostrar reconhecido ao Frei Gilberto Teixeira e sacerdotes que o acompanharam na eucaristia, bem como a Idalina Alves os cânticos e ao órgão, a Maria Inês Balanco a bela decoração florista junto ao altar, não esquecendo por outro lado as ajudas de Oleganda e Amélia.

  No fundo a sua simpatia por todos quantos ali marcavam presença naquela tarde, incluindo comunicação social, agradecendo a Deus a bênção de ter chegado a este dia e poder celebrar com sua esposa, familiares e pessoas amigas tão significativa efeméride matrimonial.

  Seguidamente rumaram ao salão de festas da paróquia, sacerdotes e todas as setenta presen-ças na efeméride para participarem na recepção oferecida pelo casal aniversariante de alguns petiscos da nossa gastronomia, onde entre as diferentes delícias não faltou o bom sortido de doçaria, a par da variada bebida, sendo por último cortado o bolo alusivo a esta efeméride, e dele dado a provar por todos quantos ali conviviam. 

  Como casal fervoroso católico, daí Ivo de Sousa ter desempenhado cabalmente no passado as funções de presidente do Conselho Paroquial na Igreja de Santa Maria, a ele praticamente se devendo em iniciativa e comparticipação, a construção do salão paroquial onde decorreu o convívio destinado a assinalar o 50º aniversário da sua vida conjugal, e a esposa Teresa catequista, na educação de fé cristã de crianças, rumo a uma vida digna aos olhos de Deus, e ultimamente como componente do grupo coral nas missas dominicais que ali são celebradas.

  Ambos oriundos da Ilha da Madeira, Ivo natural da Lombada dos Marinheiros, freguesia de Fajã da Ovelha, e Teresa, dos Prazeres, pessoas que como tantos outros compatriotas, iniciaram neste país, com fé e muito trabalho, uma actividade a partir de certa altura, por conta própria, conseguindo guindar-se a uma posição que os tornam dignos, e pelas funções que vêm desempenhando serem apontados como exemplo e motivo de orgulho na comunidade lusa, e senão vejamos em relação a Ivo de Sousa como cabeça de ca-sal:

  Foi conselheiro das comunidades por Pretória; presidente da Casa Social da Madeira; presidente do Sporting Clube de Pretória; presidente do Conselho Paroquial da igreja de Santa Maria; presidente da Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas”; presidente da Academia do Bacalhau de Pretoria; presidiu à “West Deanary Churches”, que abrange as igrejas católicas da área de Pretória; foi por quatro vezes coordenador do Dia de Portugal em Pretória; foi em certa altura  coordenador nesta mesma cidade, do “Dia da Região Autónoma da Madeira”; foi mandatário em Pretória do PSD/Partido Social Democrático, e presidente do Conselho Fiscal do Folclore Português na África do Sul, sendo por sua iniciativa e colaboração monetária, que o rancho folclórico da Casa Social da Madeira se deslocou em Agosto de 2005 à América do Norte.

  Depois de distinguido com a “Medalha de Mérito em Ouro” das Comunidades Portuguesas, e mais tarde reconhecido pelo governo português com a comenda da Ordem de Mérito, Ivo de Sousa como pessoa muito querida e estimada na sua terra natal, dando continuidade a uma velha aspiração dos seus conterrâneos, mandou construir a expensas suas, na localidade que o viu nascer, a capela que inaugurada a 8 de Agosto de 1988, tem como padroeira Nossa Senhora da Aparecida, imagem que por sinal fora oferecida a sua mãe Maria Gonçalves Jardim, aquando da visita que fizera a seu filho Eleutério Gonçalves de Sousa, radicado no Brasil há muitos anos, e que benzida na ocasião por bispo do país-irmão, trouxera consigo para a Madeira, já com a finalidade daquela Santa vir a ser a padroeira da capela que porventura um dia ali viesse a ser edificada.   

Vicente Dias