Benfica vence Paris de Saint-Germain na Luz

0
33
Benfica vence Paris de Saint-Germain na Luz

O Benfica venceu o Paris Saint-Germain, por 2-1, mas a reviravolta concretizada pelos "encarnados" em Lisboa foi insuficiente para se qualificar para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões de futebol.

 O uruguaio Edinson Cavani deu vantagem aos parisienses, que já tinham assegurado o primeiro lugar no Grupo C, antes do brasileiro Lima, na conversão de uma grande penalidade, e do argentino Nico Gaitán garantirem o terceiro triunfo do Benfica na prova, em jogo da sexta jornada.

 A necessitar de fazer melhor frente ao Paris Saint-Germain do que o Olympiacos, que venceu por 3-1 na recepção aos belgas do Anderlecht, Jorge Jesus promoveu duas alterações no "onze", com as entradas de Sílvio, para o lugar de Bruno Cortez, e de Matic, em detrimento de Rodrigo, relativamente ao jogo com o Arouca do último sábado.

 Do lado oposto, Laurent Blanc, já com a vitória no Grupo C assegurada, que não podia contar com os castigados Marco Verratti e Gregory van der Wiel, abdicou de Thiago Silva e Alex, Zlatan Ibrahimovic, entregando a responsabilidade ofensiva a Edinson Cavani.

 O Benfica partiu à procura do resultado, com Enzo Pérez e Sílvio, aos cinco e sete minutos, respectivamente, a obrigarem Sirigu a ceder dois cantos, mas esta ousadia custava alguns sobressaltos na defesa, com os contra-ataques parisienses, como ocorreu aos oito minutos, quando Ménez testou Artur pela primeira vez.

 O "onze" de Jorge Jesus não empolgava, mas, mesmo assim, criava as melhores oca-siões e Gaitán, aos 26, após passe de Maxi Pereira, rematou ligeiramente ao lado da baliza gaulesa, tal como o cabeceamento de Matic, dois minutos depois, respondendo a cruzamento de Enzo Pérez.

 A passividade do Paris Saint-Germain terminou aos 37 minutos, com o golo de Edinson Cavani, que, já na área de baliza, só teve de desviar o cruzamento da linha final de Ménez, após Javier Pastore recuperar um lance de ataque praticamente perdido.

 A resposta do Benfica ao golo do uruguaio, que atirava irremediavelmente os "encarnados" para a Liga Europa, surgiu ainda na primeira parte, por Lima, aos 45, através de uma grande penalidade, que puniu uma falta de Traoré sobre Sílvio, à entrada da área francesa.

 A estreia do brasileiro a marcar na presente edição da Liga dos Campeões levou a igualdade para o intervalo, mas, no regresso para a segunda parte, a formação portuguesa apresentou-se com vontade de capitalizar o resultado do Olympiacos, que então empatava 1-1 com o Anderlecht.

 Lima voltou a "incomodar" Sirigu, aos 52, mas foi Gaitán a colocar o Benfica em vantagem, ao aproveitar um corte incompleto de Camara, que deixou a bola à disposição do extremo argentino na área parisiense, depois de uma investida de Maxi Pereira na direita "encarnada".

 Apesar de estar em desvantagem, Blanc continuou a gerir o plantel, retirando Cavani e Thiago Motta, e o Paris Saint-Germain, mesmo assim, voltou a visar a baliza de Artur, que viu Pastore falhar por pouco, aos 69, após um passe do "suplente" Lavezzi.

 A vitória não escapou ao Benfica, que tinha derrotado por duas vezes os belgas do   Anderlecht, marcando a despedida dos "encarnados" da edição 2013/14 da Liga dos Campeões, mas a competição ainda volta ao Estádio da Luz, para o jogo decisivo, marcado para 24 de Maio de 2014.

 Ao contabilizar os mesmos 10 pontos do Olympiacos, que tinham vencido os lisboetas em Atenas, o Benfica foi "despromovido" para os 16 avos de final da Liga Europa.