Benfica vence Belenenses no Restelo e mantém liderança isolada

0
40
Benfica vence Belenenses no Restelo e mantém liderança isolada

O Benfica teve no Restelo um dos jogos mais facilitados da época, com o resultado final a “mascarar” as insuficiências do Belenenses, que mais parecia um “parceiro de treino” do líder da I Liga de futebol.

 O jogo, da 21.ª jornada do campeonato, ganho pelos visitantes por 1-0, praticamente “só deu” Benfica, com as estatísticas de posse de bola e remates a mostrarem o fosso enorme entre as duas formações.

 Cedo no jogo se adiantou o Benfica, logo aos sete minutos, e mais uma vez com um golo soberbo, verdadeiramente a “merecer óscar”, de Nico Gaitán.

 Depois do recente golo de artista de Markovic, na última jornada, contra o Vitória de Guimarães, o argentino também já tinha “facturado” um magnífico golo de livre contra o PAOK, para a Liga Europa, e voltou a concretizar de for-ma genial.

 Recebeu a bola, ainda no seu meio campo, e avançou com ela, a lançar jogada de ataque. “Desdenhou” a desmarcação de Lima, na direita, e acelerou para se isolar, frente a Matt Jones – depois, executou um eficiente “chapéu”, de belíssimo efeito.

 A vantagem permitiu ao Benfica um jogo menos pressionado, de facto, e poderia ter ampliado a vantagem, em diversas ocasiões, tanto na primeira parte como na segunda, ante um Belenenses “macio” como tudo, sem rodagem para I Liga.

 Aos 71 minutos, numa das raras incursões de ataque, o Belenenses até poderia ter chegado ao que seria um “escandaloso” empate.

 O ponta de lança Tiago Caeiro chegou a introduzir a bola na baliza de Oblak, só que o lance foi anulado por um fora de jogo duvidoso.

 Em relação ao jogo contra o PAOK, a meio da semana, Jorge Jesus voltou a fazer mudanças e saiu-se bem com isso, nomeadamente com o regresso à titularidade de Oblak, Enzo Perez, Siqueira, Fejsa, Lima e Rodrigo.

 Ou seja, mudou meia equipa e deixou no banco jogadores como Cardozo, Sálvio ou Sílvio, que poderiam ser titulares, reforçando a aposta de se bater mesmo em várias frentes, nomeadamente o campeonato nacional e a Liga Europa.

 Quanto ao Belenenses, pior ataque do campeonato – e  no encontro bem se percebeu porquê –, foi apanhado na tabela pelo Paços de Ferreira e piorou um pouco a sua situação, já que mantém o 14.º lugar, mas agora com os mesmos pontos do penúltimo (Olhanense) e último (Paços de Ferreira).