Benfica perde em casa com o Zenit na estreia na Liga dos Campeões

0
40
Benfica perde em casa com o Zenit na estreia na Liga dos Campeões

O Benfica estreou-se  na fase de Grupos da Liga dos Campeões de futebol com uma inesperada derrota caseira perante o Zenit, por 2-0, numa encontro marcado pela expulsão do guarda-redes Artur e pela "traição" de Witsel.

 No Estádio da Luz, no arranque do Grupo C, o médio belga e antigo jogador dos "encarnados" marcou de cabeça aos 22 minutos, sem festejos à mistura, o segundo golo dos russos, instantes depois de Artur ter visto o vermelho directo, por ter derrubado Danny, que seguia isolado.

 Antes, logo aos cinco minutos, Hulk abriu o marcador para a formação treinada pelo português André Villas-Boas, numa jogada de contra-ataque com muitas culpas para Eliseu, que ficou a "milhas" do internacional brasileiro.

 Foi um jogo ingrato para os campeões portugueses, que muito cedo na partida ficaram com menos uma unidade e com dois golos de desvantagem. A derrota até podia ter sido mais pesada, face às inúmeras oportunidades criadas pelo Zenit, mas os "encarnados" nunca viraram a cara à luta e também podiam, e até mereciam, ter pelo menos marcado um golo.

 Este resultado iguala o pior registo em casa do Benfica na fase de Grupos das "Champions", que data de 2 de Outubro de 2012, quando foi derrotado na Luz pelo FC Barcelona, pelos mesmos números.

 Além disso, esta foi a primeira vez que um emblema russo venceu no Estádio do Luz.

 Apesar de ter sido uma má estreia da formação de Jorge Jesus e com a vitória (1-0) do AS Mónaco perante o Bayer Leverkusen, o Benfica continua a ter condições para alcançar um lugar nos oitavos de final, num Grupo C que promete ser dos mais equilibrados e imprevisíveis desta fase.

 Com os ex-benfiquistas Garay, Witsel e Javi Garcia no "onze" e ainda com os conhecidos Hulk e Danny, o Zenit entrou muito bem na partida, perante um Benfica que apresentou a mesma equipa que goleou (5-0) o Vitória de Setúbal no campeonato, mas entrou em campo "adormecido".

 Os vice-campeões russos aproveitaram e logo aos cinco minutos colocaram-se em vantagem através de uma finalização sublime de Hulk, que apareceu na área completamente sozinho, depois de Eliseu ser ter "esquecido" de seguir o antigo jogador do FC Porto.

 Hulk esteve mesmo endiabrado neste encontro, criando várias oportunidades de golo, incluindo um remate ao poste na segunda parte.

 Um dos lances cruciais da partida aconteceu aos 18 minutos, com o guarda-redes Ar-tur, muito azarado nos jogos na Luz neste início de temporada, a derrubar Danny, quando o internacional português seguia isolado para a baliza.

 O guardião Paulo Lopes foi chamado, acabando Talisca por ser o sacrificado.

 Ainda estava o Benfica a re-organizar quando Witsel aproveitou um pontapé de canto de Danny para fazer o segundo do Zenit, um golo que praticamente "matou" o encontro.

 A partir daí, com consciência que o resultado poderia ser ainda mais pesado, o Benfica começou a defender em bloco no seu meio campo, só saindo pela certa para o ataque, com Salvio a ser o mais inconformado. Mesmo assim, foi criando algumas oportunidades, cabendo as mais claras a Luisão e a Lima.

 Já o Zenit, com a vitória praticamente garantida no "bolso", baixou claramente o ritmo de jogo, mas criou várias oportunidades para sair da Luz com uma goleada.