Benfica empata com Gil Vicente e não aproveita derrota do FC Porto na Madeira

0
77
Benfica empata com Gil Vicente e não aproveita derrota do FC Porto na Madeira

O guarda-redes do Gil Vicente Adriano Facchini segurou o empate 1-1 na recepção ao Benfica, líder da I Liga portuguesa de futebol, ao defender uma grande penalidade a Oscar Cardozo, já em período de compensação.

 O Benfica entrou no Estádio Cidade de Barcelos com a oportunidade de se distanciar do FC Porto, que tinha acabado de perder na visita ao Marítimo, por 1-0.

 Após o 0-0 ao intervalo, o brasileiro Lima colocou o Benfica em vantagem, aos 62 minutos, pouco depois de Siqueira ter sido expulso por acumulação de cartões ama-relos e deixado os “encarnados” em inferioridade numérica.

 A vantagem “encarnada” durou 11 minutos, até Vítor Gonçalves, com um remate à entrada da área, repor a igualdade, que podia ter sido desfeita, já nos últimos minutos do encontro, não fosse Adriano Facchini ter defendido nova grande penalidade, desta feita cobrada pelo regressado Oscar Cardozo.

 Com este empate, o Benfica soma 40 pontos, fica com mais quatro do que o FC Porto, enquanto o Gil Vicente, que soma oito jogos sem vencer na I Liga, subiu ao 11.º lugar, com 19 pontos.

 O Benfica assumiu o domínio da partida desde o início mas encontrou pela frente um Gil Vicente bem organizado e a dificultar ao máximo a manobra visitante.

 Com um “4-4-2” bem compacto, os locais não deram grandes possibilidades à criação de jogadas de perigo para a baliza defendida por Adriano Facchini.

 Aos onze minutos, Rodrigo desperdiçou uma soberana oportunidade para inaugurar o marcador. A jogada nasceu de um contra-ataque conduzido por Lima, que depois de entrar na área pelo lado direito assistiu o internacional sub-21 por Espanha, que foi traído por uma irregularidade do terreno e falhou o remate.

 Os barcelense tentaram chegar à área contrária, mas das poucas vezes que o fizeram não criaram situações complicadas para Oblak, que só por uma vez se teve de aplicar, mas muito por culpa do mau estado do terreno.

 O nulo ao intervalo apresentava-se inteiramente justo.

 Com Hugo Vieira a aparecer no ataque da formação da casa para a segunda parte, os lisboetas entraram com mais determinação na tentativa de chegarem à vantagem, mas o Gil Vicente continuou a demonstrar eficácia a defender.

 Aos 58 minutos, Siqueira derrubou Brito originando o segundo cartão amarelo, dei-xando a equipa com menos um jogador, porém, três minutos depois Brito, demonstrando alguma infantilidade, derrubou Nico Gaitan na área e Bruno Paixão assinalou a grande penalidade, que Lima concretizou no primeiro golo.

 O Gil Vicente reagiu e o técnico João de Deus fez entrar Vítor Gonçalves, que cinco minutos depois de ter entrado apontou o golo da igualdade com um remate de fora da área, após dois pontapés de canto consecutivos.

 Aos 83 minutos, Adriano Facchini, com uma grande defesa, negou o golo a Cardozo, que não jogava desde 9 de Novembro de 2013.

 Com o decorrer do tempo, a pressão do Benfica foi crescendo e o perigo foi cons-tante.

 Bruno Paixão concedeu cinco minutos de compensação e aos 90+1 assinalou nova grande penalidade contra os gilistas, por pretensa falta na área de Danielson.

 Cardozo não conseguiu superiorizar-se a Adriano Fac-chini, que defendeu o remate do paraguaio.