Bayern de Munique bateu PSG e conquistou pela sexta vez a Liga dos Campeões Europeus

0
139

  O Bayern de Munique conquistou ontem, domingo, pela sexta vez a Liga dos Campeões Europeus de futebol, ao vencer na final o Paris Saint-Germain por 1-0, em jogo disputado no estádio da Luz, em Lisboa.

  O golo do francês Kingsley Coman, aos 59 mi-nutos, foi o suficiente para os bávaros arrebatarem o seu sexto troféu na competição, juntando aos conquistados em 1974, 1975, 1976, 2001 e 2013.

  A 65.ª edição da prova teve uma inédita ‘final a oito’ em Lisboa, depois de ter sido interrompida devido à pandemia de covid-19.

 

* Governo português fez balanço extremamente positivo da ‘final a oito’

 

  O Governo fez um balanço “extremamente positivo” da ‘final a oito’ da Liga dos Campeões de futebol, que foi disputada em Lisboa, atestando a capacidade e segurança do país, face à pandemia de covid-19.

  “O balanço que se faz desta fase final da ‘Champions’ é extremamente positivo, sobre todos os pontos de vista, porque não se conhece qualquer registo de incidente negativo, o que, desde logo demonstra que a estratégia foi bem pensada e bem montada”, afirmou o secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

  Em declarações à agência Lusa, João Paulo Rebelo saudou “a organização da UEFA, da Federação Portuguesa de Futebol e todas as autoridades de saúde e de segurança que se juntaram para que este evento fosse o sucesso que está a ser e que demonstra, mais uma vez, que Portu-gal é um país seguro, que tem dado uma resposta exemplar no combate a esta pandemia”.

  “Temos uma grande capacidade de organização de eventos, infraestruturas desportivas de grande qualidade e somos, de facto, muito bons em termos de hospitalidade”, sublinhou o governante.

  O Estádio da Luz, em Lisboa, recebeu no domingo a final da ‘Champions’, entre Paris Saint-Germain e Bayern Munique, 11 dias depois do arranque da ‘final a oito’, no recinto ‘encarnado’ e no Estádio José Alvalade, com a disputa de quartos de final e meias-finais em apenas um jogo e sem público.

  “Do ponto de vista desportivo foi excepcional que Portugal estava no centro do mundo desportivo, uma vez que esta competição foi acompanhada por milhões e milhões de pessoas em todo o mundo, o que dá um enorme prestígio ao nosso país”, enalteceu João Paulo Rebelo.

  A 17 de Junho, a UEFA escolheu Lisboa para acolher a inédita ‘final a oito’, uma decisão acertada, segundo o responsável pela pasta do Desporto.

  “Acho que foi uma boa decisão acolher esta esta fase final da ‘Champions’ e voltaria a indicar Portugal e Lisboa ou outras cidades com grandes infraestruturas desportivas e com capacidade para dar esta boa resposta”, referiu.