Base de clientes da Zon em Angola tem crescido todos os meses

0
36
Base de clientes da Zon em Angola tem crescido todos os meses

A base de clientes da Zon em Angola, através da participada Zap, “tem crescido todos os meses”, disse o administrador financeiro (CFO), José Perei-ra da Costa.

 A Zon Multimédia, que divulgou resultados trimestrais, consolidou pela primeira vez nas contas do primeiro trimestre a participação de 30 por cento na Zap, uma parceria que tem em Angola no negócio de televisão por subscrição.
 A proporção da Zon nas receitas geradas pela operação angolana foi de 6,4 milhões de euros no trimestre, com o resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações (EBITDA) a atingir o ‘break even’, um ano e meio após o arranque do projecto.
 “No primeiro trimestre de 2012, a Zap gerou 21,3 milhões de euros de receitas, contribuindo com 6,4 milhões de euros para as receitas consolidadas da Zon e, apesar dos custos de aquisição de clientes associados ao excelente desempenho operacional da Zap, a empresa atingiu o ‘break even’ ao nível do EBITDA”, refere a operadora em comunicado.
 “É um negócio que corre muito bem, temos um desempenho operacional forte, temos uma rede de distribuição que cobre todo o território angola-no, todas as províncias, e uma boa equipa de marketing”, disse o administrador financeiro.
 A operadora tem registado um “crescimento da base de clientes em Angola todos os meses”, adiantou.
 Questionado sobre se há
outros mercados onde a operadora esteja interessada a entrar, além de Angola ou Moçambique, José Pereira da Costa afirmou: “Para já estamos muito focados neste mercado”.
 Segundo o responsável, Moçambique “é um mercado que também tem crescido bastante”, mas não na proporção que o de Angola.
 A Zap foi lançada em 2010 e é participada em 30 por cento pela Zon e em 70 por cento pela empresária angolana Isabel dos Santos.
 “É uma parceria sólida”, referiu o administrador financeiro.
 A Zon Multimédia informou o mercado que a empresária angolana tinha passado a deter uma participação de quase 15 por cento no capital da operadora de telecomunicações, através da compra de quase cinco por cento das acções do grupo através da Jadeium.
 Isabel dos Santos já detinha uma participação de 10 por cento do capital social e respectivos direitos de voto na Zon, através da Kento Holding Limited.
 O lucro no primeiro trimestre aumentou 1,7 por cento, face a igual período do ano passado, para 10,3 milhões de euros, acima das estimativas dos analistas.
 No entanto, a contribuição da Zap para o resultado líquido da Zon ainda é negativa, mas diminuiu de -2,8 milhões para -1,3 milhões de euros no primeiro trimestre.
 As receitas de exploração mantiveram-se nos 241,2 milhões de euros e o EBITDA avançou 0,2 por cento para 79,7 milhões de euros.
 José Pereira da Costa, que sublinhou a “resistência” da operadora face à conjuntura atual, considerou os resultados operacionais da empresa “muito satisfatórios”, destacando a subida do lucro, numa altura em que os analistas apontavam para uma quebra.
 O administrador financeiro apontou ainda a “boa evolução” do Free Cash Flow, destacando a redução da dívida financeira líquida do grupo.
 Pereira da Costa salientou o desempenho da oferta ‘premium’ Iris, com 120 mil clientes no final do trimestre, representando 10 por cento da base de clientes por cabo.
 “Continuamos a ter capacidade” para angariar “clientes para novos serviços”, afirmou.