Banco Central da África do Sul sublinha importância da independência do poder politico

0
57

O Banco Central da África do Sul (SARB, na sigla em inglês), sublinhou que a sua independência do poder político é uma verificação importante da política fiscal controlada pelo governo, disse um vice-presidente do banco no final de um encontro de alto nível, em Pretória, sobre o papel do banco.

 Alguns altos funcionários do Congresso Nacional Africano (ANC), o partido no poder desde 1994, instaram este ano a que o Banco de Reserva da África do Sul (SARB) “vise explicitamente o crescimento económico e a criação de emprego”, o que segundo observadores, indica uma nova tentativa do ANC para nacionalizar o banco central sul-africano.  

 Todavia, outros dirigentes do partido no poder, tidos como sendo da ala do Presidente Cyril Ramaphosa, dizem rejeitar o pedido do seu próprio partido para alterar o mandato do banco, garantindo aos investidores que “a independência do SARB não se encontra ameaçada”.

 “No contexto sul-africano, sentimos que um banco independente é uma importante verificação na equação. O nosso sistema providenciou ao governo as alavancas de política fiscal”, declarou o vice-governador do SARB, Kuben Naidoo, na conferência em Pretória.

 Segundo Naidoo, citado pela Reuters, a política monetária é necessária para avaliar se a economia está “muito fria ou muito quente” e se a política fiscal está a agir com normalidade.

 O responsável acrescentou que níveis mais elevados de dívida e déficits mais altos introduziram riscos na economia do país, como o preço mais elevado do capital, que teve ser tido em consideração.

 “A política monetária tem que ter uma visão mais ampla do que apenas a inflação. É um ponto óbvio, mas muitas vezes não é dito na discussão macroeconómica ”, salientou.