Bailarino português António Casalinho conquista dois prémios em Lausanne

0
281

O jovem bailarino português António Casalinho foi hoje duplamente distinguido com o Prémio de Interpretação Contemporânea e uma bolsa de estudo na competição internacional de bailado Prix de Lausanne, na Suíça.

António Casalinho foi um dos seis jovens finalistas distinguidos com bolsas pela 49.ª edição do prémio, à qual concorreram inicialmente 82 candidatos, destes, 78 chegaram à fase competitiva e 20 acederam à final, que decorreu hoje por vídeo, segundo a página ´online´ do concurso internacional.

O Prémio de Interpretação Contemporânea foi atribuído pelo júri a António Casalinho e ao bailarino brasileiro Rui Cesar Cruz.

Entre os seis jovens galardoados com uma bolsa de estudos está ainda o bailarino brasileiro Andrey Jesus Maciano, que também foi galardoado com o Prémio de Melhor Jovem Talento.

Os seis distinguidos com bolsas terão a possibilidade de escolher uma escola ou companhia de dança parceiras do Prix de Lausanne.

O júri foi presidido este ano por Richard Wherlock, diretor e coreógrafo do Ballet de Bâle.

Os bailarinos portugueses António Casalinho, Francisco Gomes e Laura Viola tinham sido selecionados para a competição internacional de bailado Prix de Lausanne, entre candidatos oriundos de vinte países.

 

Os três portugueses selecionados são do Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sánchez, em Leiria.

Concorrem ainda dois alunos estrangeiros provenientes da mesma escola de dança em Leiria: o italiano Giulio Diligente e a britânica Maia Roberts.

Entre os selecionados contavam-se seis bailarinos brasileiros: Kayke Nogueira, da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Rui Cesar da Cruz e Luiza Falcão, do Grupo Cultural de Dança Ilha, João Felipe Domingos, do Basileu França, Andrey Jesus Maciano, do Balé Jovem de São Vicente, e Ana Sartini, do Ballet Vórtice.

A 49.ª edição do Prix Lausanne decorre desde 31 de janeiro, e termina oficialmente no domingo, mas as finais decorreram hoje.

O Prix de Lausanne, um dos mais importantes galardões dedicados à dança, foi criado em 1973, e é gerido pela Fondation en Faveur de l’Art Chorégraphique.

Na 48.ª edição, a bailarina portuguesa Catarina Pires, da Academia de Dança de Zurique, recebeu o prémio “favorita do público”.