Augusto Canário esteve em grande no espectáculo que deu no Aniversário da Casa Social da Madeira

0
50
Augusto Canário esteve em grande no espectáculo que deu no Aniversário da Casa Social da Madeira

A Casa Social da Madeira, fundada em Pretória a 15 de Agosto de 1982, comemorou na noite do penúltimo sábado, 10 de Outubro, o seu 33.º aniversário, com um programa iniciado com um jantar de convívio tipo “self-service” de boas especialidades da nossa gastronomia, servido como ali soubemos a setecentas e cinquenta pessoas, entre as quais e como entidades oficiais o embaixador Ricoca Freire, a cônsul-geral em Joanesburgo, Luísa Fragoso, a conselheira da nossa embaixada, Ana e Brito Maneira, o coordenador do ensino de português na África do Sul, Rui Azevedo, o adido comercial, João Pedro Pereira, e em entidades religiosas o pároco da igreja de Santa Maria dos Portugueses, Frei Gilberto Teixeira, e o seu colega Lameque André Michangula.

 As boas-vindas aos que em grande número ali conviviam nessa noite, com destaque para as entidades oficiais, em que felicitou a presença pela primeira vez nesta Casa Social, da cônsul-geral de Joanesburgo, Luísa Fragoso, para quem pediu uma salva de palmas, não esquecendo entre os presentes, os comendadores Estêvão Rosa, Manuela Rosa, Mário Ferreira, Ivo de Sousa e Fátima de Castro, e como presidentes de outras colectividades e instituições, o da ACPP, Américo Pimentel; o da Casa do Benfica, Lino Faria; o da Academia do Bacalhau, Tony Oliveira; e a dos Lusíadas, Paula de Castro, saudando também ali pela primeira vez, o jornalista Paulo Catarro, repórter da RTP em Angola, quer como sublinhou uma figura que certamente e através das suas reportagens, muitos os presentes conhecem, ou já ouviram falar.

 Reconhecido mostrou-se também Samuel da Silva aos que consigo se envolveram e colaboraram nesta grandiosa festa, para com o contributo de cada um fosse possível a realização dessa grande noite, e a vinda de Portugal do elenco artístico que ali actuou, “Augusto Canário e Amigos”, destacando nesse prisma Ivo Castelo Branco, Alberto Gouveia, Gilberto Basílio, Augusto Rosa, e Modern Packaging, deixando para último e como referência especial, Izídio Câmara, que não pôde estar ali presente nessa noite, por se encontrar ausente na Madeira, devido ao falecimento de seu pai, para quem pediu uma salva de palmas.

 Ao basear as suas palavras praticamente em agradecimento a quem consigo colaborou neste aniversário, Samuel da Silva, devido à grande afluência de pessoas, não só de Pretória, como de

outras localidades, para todas elas pedindo uma salva de palmas, usou esta expressão:

 “A Casa Social da Madeira é com certeza uma casa portuguesa”, adiantando mediante o seu optimismo, e radiante por ver ali juntos e a conviver, as comunidades madeirense e continental, para si motivo de satisfação e orgulho, haver um caminho longo a percorrer, mas que com a cooperação de todos, como espera, algo se irá conseguir, realçando por último a camisola recebida de Cristiano Ronaldo para ali ser leiloada, a todos desejando uma noite agradável e divertida, com a actuação do grande artista Augusto Canário.

 Convidado a algumas palavras, o embaixador de Portugal, na África do Sul, dr. Ricoca Freire, depois de a todos saudar com um abraço amigo, e dar os seus parabéns à Casa Social da Madeira, englobando aqui directores e associados, aos madeirenses e todos os portugueses que ali conviviam, pela passagem de mais um aniversário daquela colectividade, salientou como importante e lhe apraz registar com agrado, a união a quem tem assistido este ano na comunidade, a começar pelos festejos do “Dia de Portugal”, com o envolvimento de todas as suas organizações, associações e instituições humanitárias, todas elas representadas e a conviver de forma digna nos festejos que cada uma delas promoveu, solidariedade que marcou e continua a marcar a evidência desta comunidade de Pretória, para todas elas pedindo uma salva de palmas, destacando em solidariedade social a obra meritória que “Os Lusíadas” desenvolvem na comunidade, e que esta união de todas as organizações se pode considerar muito importante, na medida em que acima de tudo demonstra como muito benéfica, a solidez que se pretende e deseja.

 Nós hoje, não só estamos a comemorar o aniversário da Casa Social da Madeira, como os cinquenta anos em que de forma vibrante sobrevivem as associações portuguesas de Pretória, bem vistas e com visão projectada para o futuro, onde como salientou há espaço para todas, mas por vezes há necessidade de investir e renovar os seus parques, como disso é prova a Casa Social da Madeira, com estas magníficas instalações, nesta soberba propriedade, tendo em conta que o investimento em renovação de espaços realça também a capacidade das associações em dar fruto, realidades importantes que as associações devem perceber, e na medida-do-possível transformar os seus espaços naquilo que se pretende como vantajosas e mais benéficas para a comunidade, a par de com isso poderem tirar melhor partido.

 A Casa Social da Madeira – colectividade que ali estava em foco na celebração deste seu aniversário -, deu um sinal importante disso, quando há quatro anos aqui se instalou, e é esse exemplo que espero seja considerado por todos, e não me competindo a mim gerir os espaços das associações, nem interferir nas suas administrações, regozijo-me no entanto com a projecção de todas elas rumo ao futuro que se pretende, endossando por último os seus parabéns à Casa Social da Madeira na passagem deste aniversário, extensivo a todos os que ali conviviam de forma muito saudável, em que ao agradecer o convite para esta efeméride, e o bom acolhimento de que foi alvo, prometeu voltar sempre que como sublinhou “me quiserem cá”. Parabéns a todos.