Artista Leonel Moura participa em exposição sobre arte computacional na China

0
106

O artista português Leonel Moura, pioneiro da arte robótica em Portugal, vai participar numa exposição colectiva de arte computacional que é inaugurada a 26 de Setembro no Ullens Center for Contemporary Art (UCCA), em Pequim, na China, foi anunciado.

A exposição intitula-se “Imaterial/Re-material: uma breve história da arte computacional”, reúne 29 artistas de vários países e ficará patente até 17 de Janeiro de 2021, segundo informação da página ‘online’ da Direcção-Geral das Artes.

A exposição fornece uma visão abrangente da evolução da arte computacional, desde a década de 1960 até ao presente, “explorando vários tópicos e práticas, não apenas como arte digital em geral, mas como uma arte que se engaja ativamente com os algoritmos e lógicas generativas que sustentam o campo da computação”.

O título homenageia a exposição considerada inovadora de Jean-François Lyotard, de 1985, “Les Immatériaux”, que introduziu um novo modo de materialidade que ecoou os avanços das tecnologias das telecomunicações.

“Imaterial/Re-material” pretende “escrever um novo capítulo na história deste meio, abordando-o não apenas como uma nova forma de expressão, mas como uma linguagem artística por inteiro”, acrescenta o comunicado sobre a exposição.

Organizada pelo curador Jerome Neutres, em colaboração com a curadora do UCCA Ara Qiu, a mostra foi possível graças ao suporte tecnológico do parceiro líder em Inteligência Artificial, Baidu, e ao suporte organizacional e empréstimo da Fundação Guy & Myriam Ullens.

Além do português Leonel Moura, também participam nesta exposição, entre outros, os artistas Memo Akten e Refik Anadol, da Turquia, Michel Bret, Laurent Mignonneau e Edmond Couchot, de França, Daniel Rozin, de Israel, Leo Villareal, dos Estados Unidos, Manfred Mohr e Frieder Nak, da Alemanha, Celyn Bricker, da Grã-Bretanha, Faye Lu, Lu Yang, Yang Yongliang e Liu Wa, da China, Miguel Chevalier, do México, Ryoji Ikeda, do Japão, e Christa Sommerer, da Áustria.

Os coleccionadores de arte e empresários Guy e Myriam Ullens fundaram o UCCA em 2007, e em 2017 evoluiu para o Grupo UCCA, sob a propriedade e direção de um novo grupo de patrocinadores e acionistas.