Arraial dos Santos Populares e festa de Santo António foram de estrondoso sucesso na Igreja de SM

0
102
Arraial dos Santos Populares e festa de Santo António foram de estrondoso sucesso na Igreja de Santa Maria

A igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Luttig Street, de Pretória West, viveu na noite do penúltimo sábado, dedicado aos Santos Populares, e tarde de domingo, 22 de Junho, dois dos maiores festejos da sua história, em termos de aderência de pessoas, e receita conseguida nos dois eventos, a fazer lembrar os tempos áureos, em que além da comunidade ser mais expressiva, as facilidades eram maiores em todos os sectores de vida, razão porque quando se trate de ajudar boas causas, como ali era o caso, ainda cá estamos para as apoiar.

 Revestia-se as receita destes festejos, como disso foi dado conhecimento pelo presidente do conselho paroquial desta mesma igreja, Virgílio da Sil-va, à aquisição de duas propriedades dotadas de vivendas, paralelas ao Centro-Dia S. Francisco de Assis, desta paróquia de Santa Maria, com a exclusiva finalidade dessas ditas habitações serem transformadas em aposentos, de maneira a que com passagem de ligação a este centro-dia, de limitada capacidade, pode-rem no futuro albergar mais idosos, e assim se evitarem listas de espera, como actualmente isso vem acontecendo, e se entretanto nada for feito, certamente alguns devido à sua avançada idade, dificilmente o poderem utilizar, a não ser que como se pretende agora, com a compra dessas duas casas, seja aumentada a sua lotação.

 Com essa finalidade, foi esta festa dedicada a Santo António, que o actual presidente da Confraria do Santíssimo Sacramento, António Correia de Freitas vem organizando em sucessivos anos, agora com a estreita colaboração do conselho paroquial liderado por Virgílio da Silva, e da Liga da Mulher Católica que tem a dirigi-la Lina Pereira, e em conjugação de esforços atin-gido um sucesso, em cujo resultado, tanto em termos de aderência da comunidade, como de encaixe monetário propriamente dito, à partida poucos acreditariam.

 Teve a organização destes eventos, o privilégio de arranjar para estes festejos, o pa-trocínio da família Ferreira, constituída por Vicente Ferreira, esposa Irene Ferreira, e seus filhos, Vicente Júnior Ferreira e esposa Mónica Ferreira, e Kevin Ferreira, que em termos de cooperação se mostraram em todos os sectores relacionados com estas celebrações, verdadeiramente excepcionais, não olhando a sacrifícios individuais, muito menos despesas pessoais, para que fosse atingido o resultado ambicionado, e no fundo todos devemos estar grata, olhando a que tudo o que fizeram foi em puro benefício da comunidade.

 A este propósito os festeiros chamaram a si todas as des-pesas relacionadas com o al-moço de domingo, equipa que na cozinha confeccionou a re-feição e a que serviu às me-sas, toda a bebida vendida no bar, decoração da igreja junto ao altar, preparação do salão e aluguer das tendas montadas ao lado para acomodar maior número de pessoas, prémios para a rifa, anúncio publicitário no Século de Joanesburgo, dez guardas de companhia privada para orientação e segurança de viaturas em todo o perímetro de estacionamento, pagamento ao artista Roberto Adão, as-sim como das galinhas para o brai e das bebidas no arraial da noite de sábado dedicado aos Santos Populares, além dos inúmeros livros de rifas que venderam, e pessoas que a seu pedido, ou por sua influência participaram nos festejos.

 De registar ainda o forno que Vicente Ferreira, juntamente com outros seus amigos, in-cluindo José Dias Roda, que também muito colaborou nestes festejos, ofereceram à co-zinha da paróquia de Santa Maria, que assim vê concretizada uma aspiração de longa data, para o sector de culinária.

 Em relação a actividades programadas para os festejos, foi a tarde e noite de sábado dedicada aos Santos Populares em arraial onde não faltaram a típica espetada, o bolo do caco, a galinha assada, o prego e o caldo verde, actuação de Gina Martins e Damião de Freitas, e o desfile de marcha popular, a trazerem um cheirinho às que por esta altura do ano são realizadas em Lisboa pelo Santo António, com a música para essa noite a cargo da “DJ VIX”, conforme ali foi referido a título gratuito.

 No domingo, em honra de Santo António, os festejos foram iniciados com missa celebrada pelo Frei Manuel Nha-quila, coadjuvado pelo padre José Rebelo da igreja católica de Silverton, a cargo de quem esteve a homilia, com cânticos dos grupos corais, o desta igreja de Santa Maria, e o da igreja de Potchefstroom, diga-se pelo que ouvimos, bastante apreciado, eucaristias seguida de procissão, após o que no salão de festas foi servido o almoço de convívio às seiscentas e cinquenta pessoas inscritas, tendo depois na tarde recreativa com música do conjunto “Estrelas da Madeira”, actuado o jovem Roberto Adão, seguindo-se-lhe o rancho folclórico da Ca-sa Social da Madeira, e a encerrar o desfile da marcha popular que ultimamente tem si-do preparada para estes festejos alusivos aos Santos Populares, nesta igreja de Santa Maria.

 Os agradecimentos aos presentes, onde se contavam os presidentes, da ACPP, assembleia-geral Manuel José e direcção Américo Pimentel; o da assembleia-geral da Casa da Madeira e coordenador dos festejos do Dia de Portugal, em Joanesburgo, Vasco Martins; o da Casa Social da Madeira, Miguel Carreira; o da Academia do Bacalhau de Pretoria, João Serradinho; o da Casa do Benfica, desta mesma cidade, Lino Faria; a da Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas”, Paula de Castro, e José Achadinha , e de modo especial aos festeiros, estiveram a cargo do presidente do conselho paroquial da igreja de Santa Maria, Vir-gílio da Silva, que em reconhecimento se mostrou grato a quantos de qualquer manei-ra cooperaram nestes festejos, com destaque parta quem trabalhou na cozinha e serviu ao bar, colaborações como as de José Dias Roda, Maria Inês, Miquelina Passos, Agos-tinho da Silva, ao cançonetista Roberto Adão, aos componentes do rancho folclórico da Casa Social da Madeira e da marcha popular, não esquecendo a ACPP pela cedência de cadeiras e talheres para este dia de grande afluência.

 Radiante com a aderência de tantas pessoas aos festejos destes dois dias, que estimou em cento e cinquenta no arraial da noite anterior, e seiscentas e cinquenta ali nessa tar-de, Virgílio da Silva dando a conhecer a que se destinavam os fundos que fossem conseguidos, dedicando o fi-nal da sua intervenção à dedicação de António Correia de Freitas à festa que anualmente é feita nesta igreja, em louvor de Santo António, terminando com um olhar sobre a comunidade, a seu ver o que fora antes, e agora algo dispersa se vai afastando de certas actividades, esperançado que a seu tempo e com o projecto que se está a preparar, alvitrado ao que nos parece em recente reunião dos líderes das nossas colectividades com a conselheira da embaixada, a comunidade volte ao que já foi, disso vindo a beneficiar as nossas agremiações, logicamente referindo-se às de Pretória.

 Depois de dar conhecimento dos sessenta e um mil randes ali conseguidos na colecta voluntária efectuada pelos festeiros, pelas mesas após a refeição, foi por António Correia de Freitas feito o leilão de alguns artigos, também estes a deixarem na sua aquisição, cinquenta e três mil e trezentos randes, a perfazerem um total de cento e catorze mil randes, isto sem contar com o que fora conseguido no bar, diga-se nesta festa muito movimentado, e a receita da noite anterior, que certamente tudo somado, incluindo os do-nativos que segundo Virgílio da Silva na noite anterior, rondavam os dezassete mil randes, deve ter batido todos os recordes.

 Depois de anunciar para festeiros de Santo António no próximo ano, Manny Pereira, Sidónio Castro, João Serradi-nho, Gabriel Gonçalves, José Cardoso, Virgílio Castro, Ma-nuel Jardim, Nélio Gonçalves, Nico Diniz, Tony Barreiro, Paulo de Freitas, Vicente Fer-reira, Paula de Castro, João Farinha Jardim e Isabel de Freitas, daí e para a grande projecção que pretendem dar ao evento, se começar a pensar em Quim Barreiros para cabeça de cartaz desses festejos, procedeu-se ao sorteio da rifa, nela sendo contemplados, com o 1º prémio, duas passagens aéreas a Durban ou Cape Town, o número 3093, no bilhete apenas indicado o sobrenome de Duarte; com o 2º prémio, um frigorífico, o número 2212, adquirido apenas com a indicação de Danny; e com o 3º prémio, um televisor, o número 361, no talão apenas escrito o nome de Gabriel, prémios estes que serão entregues a quem provar pertencer-lhes, vindo os festejos a encerrar com a animada tarde dançante, ao som do conjunto musical “Es-trelas da Madeira”.