Arcebispo brasileiro de Aparecida preside à peregrinação de Maio a Fátima

0
56
Arcebispo brasileiro de Aparecida preside à peregrinação de Maio a Fátima

O cardeal arcebispo de Aparecida, Brasil, D. Raymundo Damasceno Assis, preside à peregrinação internacional de maio ao Santuário de Fátima, onde, na ocasião, vai ser entronizada uma imagem da Virgem de Aparecida.

 Em entrevista à sala de imprensa do santuário, o arcebispo de Aparecida afirmou que ter uma réplica da imagem “oficialmente entronizada no Santuário de Nossa Senhora de Fátima é uma graça inesperada”.

 “E auguramos que essa sua entronização em Fátima redunde em aparecimento, em ‘irrompimento’ no coração e na vida de tantos outros irmãos e irmãs nossos”, declarou D. Raymundo Damasceno Assis, considerando que, “na multiplicidade da procedência de seus peregrinos, Fátima tem as dimensões do mundo”.

 Os santuários de Fátima, no distrito de Santarém, e da Aparecida assinalam em 2017, respectivamente, o centenário das aparições e o tricentenário da descoberta da imagem de Nossa Senhora da Conceição em Aparecida, tendo as comemorações conjuntas iniciado em maio de 2014.

 Nesse mês, o bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, e o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, levaram ao Brasil uma imagem da Virgem de Fátima que foi entronizada no Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Aparecida.

 “Tratando-se de dois dos mais importantes santuários marianos do mundo e de dois povos irmãos, unidos pela história e pela língua, mas também pela mesma fé e pela grande devoção a Nossa Senhora, sentimos dever celebrar também conjuntamente tão significativos jubileus”, justificou então o Santuário de Fátima.

 Em declarações à sala de imprensa do santuário, D. Raymundo Damasceno Assis, também presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, notou que “a história e mensagem de Fátima, ao menos em pontos mais significativos, são conhecidas do povo brasileiro”.

 “É a Virgem que, como a de Aparecida, convoca seus filhos e filhas para a oração. Ambas com mãos em prece, mas, integrada com a penitência”, referiu, acrescentando: “Em Fátima, busca três pobres pastorzinhos aos quais ‘aparece’. Em Aparecida, são três pescadores, igualmente pobres, em cujas malhas deixa-se enredar e, assim, manifestar-se àqueles corações e àquelas vidas prontamente acolhedores”.

 Na entrevista, o cardeal arcebispo expressou o desejo de que “nestas duas imagens distintas, representativas de duas nações, que Portugal e Brasil sintam-se irmanados” e que Fátima e Aparecida reforcem e propaguem “aos quatro ventos a dimensão universal de sua mensagem e proposta”.

A imagem de Aparecida vai ser entronizada no Santuário de Fátima no momento seguinte à abertura da peregrinação aniversária, a 12 de maio, na qual são esperadas centenas de brasileiros.