António Costa quer empresas portuguesas a investir no México e também em Cuba

0
118

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou no sábado que quer estreitar relações com o México, onde esteve este fim-de-semana em visita oficial, mas também com outros países da América Latina, como Cuba.

 Convidado para a tomada de posse, sábado, do novo presidente do México, António Costa disse aos jornalistas, na Cidade do México, que esse convite é um sinal do nível de relacionamento e da “presença económica importante que se tem vindo a desenvolver” no país.

 Além do México, o primeiro-ministro apontou baterias para Cuba, que “é hoje um país onde vale a pena as empresas portuguesas olharem com atenção”.

 “O país está numa mudança importante de abertura e estimula bastante o investimento. É um caso de um país onde devemos ter um esforço acrescido de estreitamento das relações”, disse.

 Sobre o novo presidente do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, que representa uma viragem histórica do México à esquerda, António Costa elogiou-lhe o discurso de luta por causas em que acredita, mui-to próximo dos cidadãos.

 “Quis dar um sinal claro de ruptura com um certo sistema oligárquico e ter aqui um sistema económico menos permeável à corrupção”, disse a propósito do discurso de tomada de posse de Lopez Obrador no Palácio Legislativo, na Cidade do México.

“Deixou mensagens importantes à comunidade internacional sobre gestão das migrações e do ponto de vista internacional foi a mensagem mais importante”, disse.

 A viagem oficial de António Costa ao México incluiu ainda uma visita à Feira Internacio-nal do Livro de Guadalajara, na sessão de encerramento e onde Portugal foi país convidado.

 O primeiro-ministro português esteve ainda na inauguração de uma linha de Metro em Guadalajara, obra na qual participou a empresa portuguesa Mota-Engil.