Angola defende modelo mais dinâmico na cooperação com a China

0
47
Angola defende modelo mais dinâmico na cooperação com a China

A cooperação entre Angola e a China necessita de um novo ritmo com a introdução de um modelo mais dinâmico “que passe da empreitada para o investimento na industrialização”, disse à chegada a Luanda a secretária de Estado da Cooperação.

 Ângela Bragança, que se deslocou à China integrada na delegação chefiada pelo ministro de Estado e chefe da Casa Civil da Presidência da República, Edeltrudes Costa, disse ainda que Angola tem os recursos e a China a capacidade tecnológica para apoiar o desenvolvimento do país “pelo que analisámos a necessidade de dar um novo ritmo à cooperação bilateral.”

 A secretária de Estado, citada pela agência noticiosa Angop, anunciou para Maio próximo, na China, um encontro da Comissão Mista para, à luz das conclusões da reunião da Comissão Orientadora da Cooperação Económica e Comercial entre Angola e a China, desenvolver os aspectos centrais do novo modelo de cooperação.

 “Neste novo modelo a energia surge em primeiro lugar, devido à necessidade de se proceder à expansão da rede eléctrica, seguida da agricultura, desde a produção até ao escoamento e ao processamento dos produtos”, disse.

 No decorrer do encontro da Comissão Orientadora foi reafirmada a necessidade da consolidação da parceria estratégica com a China, para o cumprimento das metas fixadas no Plano Nacional de Desenvolvimento de Angola 2013-2017.

 Ângela Bragança adiantou ter o fundo de apoio ao desenvolvimento de Angola sido uma das questões discutidas durante a reunião daquela comissão, realizada no passado em Pequim.

 De acordo com a secretária de Estado foi explorada toda a capacidade financeira existente, para que o financiamento ao desenvolvimento de Angola se possa realizar, na medida em que há uma aposta da China em fazer de “Angola o país prioritário na sua cooperação com África.”

 Em comunicado divulgado em Pequim, a embaixada de Angola na China afirma que o ministro de Estado e chefe da Casa Civil da Presidência da República de Angola apelou ao reforço do investimento da China no seu país para “consolidar a parceria estratégica” bilateral.

 “A nossa parceria estratégica ganha ainda maior significado no actual contexto económico e financeiro internacional, caracterizado pela incerteza”, disse o ministro de Estado an-golano num encontro com o vice-primeiro-ministro chinês Wang Yang.

O encontro de Edeltrudes Costa com Wang Yang decorreu em Pequim, após a primeira sessão da Comissão Orientadora da Cooperação Económica e Comercial entre Angola e a República Popular da China, o ministro angolano apelado também à transmissão da “da experiência chinesa na agricultura, produção de alimentos e no desenvolvimento de projectos no domínio sociocultural e da formação de quadros”.