Angariados em Pretória 42.000 randes em convívio de solidariedade a favor das vítimas do Haiti

0
143
Angariados em Pretória

Angariados em PretóriaA comunidade portuguesa de Pretoria volta de mãos dadas a mostrar o seu espírito de solidariedade, desta vez em jantar de convívio realizado na noite da passada quinta-feira, 4 de Fevereiro, no salão de festas da igreja de Santa Maria dos Portugueses.

Nele participando mais de cento e oitenta pessoas, entre as quais o embaixador Ramos Pinto e sua esposa, embaixatriz Maria Ana, o Frei Gilberto Teixeira e o seu colega boliviano Wilder Barriento, e a nível de presidentes de colectividades lusas sediadas nesta cidade, Damião de Freitas pela Casa Social da Madeira; Ivo de Sousa, Academia do Bacalhau e Con-selho Paroquial da igreja de Santa Maria; Paula de Castro, Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas”; e Lina Pereira pela Liga da Mulher Católica ligada a esta mesma igreja em Luttig Street, da capital sul-africana.

  Segundo ali divulgado do que fora angariado em colecta voluntária pelas mesas após a refeição, a juntar a alguns donativos, ao lucro do leilão ali feito por João Ferreira de algumas bebidas espirituosas e peças de bordados trabalhados à mão, oferecidas para o efeito, e da margem de lucro deixada pelo bar, no fornecimento de bebidas, terá a receita total atingido os quarenta e dois mil randes, montante esse a avaliar pela ovação e salva de palmas no salão, a deixar satisfeitos a organização do evento e quantos nele colaboraram e participaram.

  Antes de ser iniciado o jantar, os presentes tiveram oportunidade de ver pelas “slides” ali projectadas em ecrã gigante, algumas das arrepiantes imagens da devastação deixada pelo terramoto, tendo na ocasião o Frei comendador Gilberto Teixeira aproveitado para na prece de benção da refeição, se referir à confraternização, nestes termos:

  “Hoje é dia de solidariedade, vamos pelas imagens a projectar em seguida, apercebermo-nos da dimensão do sismo que abalou o Haiti, lembrando em obediência ao convívio que ali decorria, os que nestas alturas de tragédia se lembram dos que sofrem, terminando com o pedido de benção para os nossos irmãos que atingidos por essa desgraça vivem dias de muita angústia e necessidades de toda a ordem”.

  Para a saudação ao nosso embaixador e sua esposa, embaixatriz Maria Ana Ramos Pinto, e agradecimentos aos presentes no jantar, a começar por quem o organizou, elogiando nesse sentido o Grupo da Oração desta igreja de Santa Maria, com destaque para Fernanda Laranjeiro, a que de imediato se juntou a Liga da Mulher Católica desta mesma paróquia em Pretoria West, dirigida por Lina Pereira, e quantos nele colaboraram, já que segundo referiu tudo quanto ali se comera fora oferecido por anónimos que não quiseram ser divulgados, sem esquecer quem confeccionou a refeição, neste caso Ana Maria Guedes, Cesária Teixeira e toda a equipa que trabalhou na cozinha, com reconhecimento a Paula de Castro de “Os Lusíadas”, e todas as senhoras que serviram às mesas, usou da palavra o presidente do Conselho Paroquial, Ivo de Sousa, tendo na sua intervenção e ao referir-se ao motivo que originou esta confraternização, agradecido a Damião de Freitas, que além de oferecer a sua aparelhagem de som para o convívio dessa noite, ainda gratuitamente ali actuou, não esquecendo em reconhecimento outras ajudas, como as de Miquelina Passos na venda de rifas para o sorteio da caixa de vinho, Manuel Rodrigues a cargo de quem esteve o funcionamento do bar, e João Ferreira que fizera o leilão.
  Chamado ao palco para proferir algumas palavras após o jantar, o embaixador, dr. João Ramos Pinto, começando por a todos saudar, e elogiar a organização do evento, quantos nele colaboraram, ou simplesmente com a sua presença deram o seu contributo, a que com muito gosto se associara com sua esposa, viria no seu improviso a salientar:

  “Todos nós vimos pela televisão as imagens do desastre com o terramoto do Haiti. Todos nós ficamos muito comovidos pelo sofrimento daquele povo que já vinha sofrendo e agora com esta catástrofe muito mais passou a sofrer, daí a reacção de qualquer pessoa em poder ajudar essa gente, como hoje aqui acontece.
  Quando há dias recebi aqui da paróquia o convite para vir ao jantar de solidariedade para com o povo do Haiti, além de ficar contente respondi logo que vinha, eu e minha esposa, já que constituía uma oportunidade para também nós podermos manifestar o nosso apoio, a nossa amizade e solidariedade ao sofrimento desse povo, que além do que se passou entra agora na fase das doenças, que embora não seja tão mediática, é no entanto muito séria, pelo que continuará a precisar de ajuda durante muito tempo.

  Foi também motivo de alegria ver que os portugueses aqui da África do Sul, ficaram comovidos e também quiseram ajudar, o que me faz sentir honrado pertencer a esta comunidade, que não obstante cada um ter a sua vida e pela sua dureza por vezes não é fácil, mas sempre que é preciso se mostram dispostos a ajudar, tanto a favor de quem precisa na comunidade, como também, e hoje aqui é o caso, em prol de pessoas que por todo o mundo estejam a sofrer, terminando com estas palavras:

  Bem hajam pela iniciativa e pelo vosso gesto, que certamente ajudará quem tanto precisa no Haiti, e obrigado também por nos fazer sentir a todos muito honrados de sermos portugueses e solidários para com as pessoas em dificuldades por todo o mundo”.

  Com a palavra de ordem no jantar a obedecer ao tema “ajudar”, também João Ferreira antes de iniciar o leilão apelou à boa colaboração dos presentes na aquisição dos artigos a leiloar, já que como frisou, o que se fizesse, por mais pequeno que fosse, talvez desse para matar a fome a alguém que certamente se vá deitar sem um bocadinho de pão para comer.

  O convívio viria a conhecer alguma alegria no seu final, com a interpretação de alguns números musicais de tom humorístico por Ivo de Sousa, acompanhado à viola por Damião de Freitas, um cançonetista sempre pronto a colaborar nas actividades da comunidade quando lhe é pedido, onde as de solidariedade como esta e outras do género são para si de muito valor, daí sempre as apoiar, o mesmo acontecendo com Ivo de Sousa, onde inclusive a iniciativa de organização de algumas delas são da sua autoria.