Análise às primeiras 10 jornadas da Primeira Liga: quem ganhou pontos e quem perdeu tendências

0
40
Análise às primeiras 10 jornadas da Primeira Liga: quem ganhou pontos e quem perdeu tendências

O Benfica é o único dos três grandes que ganha pontos ao fim de 10 jornadas da Liga, em relação à temporada passada. E o Sporting é quem mais perde na comparação. Em contrapartida, cresceram e muito os “outsiders”, à cabeça V. Guimarães e Belenenses.

 A tendência geral, de resto, denota maior desequilíbrio entre o topo e o fundo da tabela. Também estão a marcar-se mais golos, enquanto é mais difícil ganhar fora de casa.

 Se a grande notícia da Liga é o V. Guimarães e o seu segundo lugar, a maior subida em absoluto relativamente à época passada aconteceu no Restelo, mais 11 pontos em 10 jogos na alegre caminhada até ao quarto lugar. Há um ano, por esta altura, o Bele-nenses era 13º e tinha nove pontos. A equipa de Rui Vitória também melhora brutalmente, mais 10 pontos no bolso. E mais 11 golos marcados. A outra grande subida da época é do P. Ferreira. Mais 10 pontos também, o sexto lugar depois do empate em Alvalade neste regresso de Paulo Fonseca, tudo tão diferente da época passada, quando por esta altura o Paços agonizava no fundo da tabela.

 Quanto aos grandes, na Luz estão agora mais dois pontos do que nesta fase da Liga, há um ano. O FC Porto perdeu dois, em comparação com a época em que estava ainda Paulo Fonseca ao comando.

 Há no entanto um dado que se mantém. Tal como há um ano, os dragões são a única equipa que ainda não perdeu na Liga.

 E depois há o caso do Sporting, que perde muito na comparação: menos seis pontos do que aqueles que valiam o terceiro lugar por esta altura em 2013/14, menos seis go-los marcados também. As únicas equipas que perderam mais pontos que os leões em relação à última época foram Estoril, Nacional e Gil Vicente.

 O Sporting voltou a marcar passo em casa frente ao P. Ferreira na jornada 10, so-mando agora três vitórias e dois empates no seu terreno.

 Tinha mais uma vitória e menos um empate na época anterior. Os outros pontos perdidos dizem respeito a jogos fora de casa: há um ano, a equipa orientada por Leo-nardo Jardim tinha quatro vitórias fora e uma derrota, contra duas, dois empates e uma derrota esta época.

 

 A tendência é geral. Em 90 jogos houve até agora apenas 24 vitórias fora de casa, uma média de 27 por cento. Há um ano, numa Liga a 16, o registo era de 31 vitórias fora em 80 jogos, média de 39 por cento. Nessa altura, apenas duas equipas não tinham vencido ainda longe de casa, Belenenses e Olhanense.

 Agora são seis, incluindo o Sp. Braga. As vitórias caseiras nesta Liga representam quase metade dos jogos, foram 43.

 Quanto aos golos, depois de um arranque fraco a Liga tem vindo a recuperar. São 229 ao fim dos 90 jogos já realizados, média de 2,5. Há um ano, por esta altura, estava nos 2,41.

 O Benfica, que tem o melhor ataque da Liga, soma dois golos em relação à última época, mas o contributo principal para o aumento é do V. Guima-rães e também do Rio Ave, que a fechar a ronda 10 venceu a Académica para subir ao 7º lugar, em igualdade pontual com o Sporting. Ambos têm agora mais 11 golos marcados.

 Neste aspecto, destaque para a eficaz parcimónia do Moreirense. O melhor recém-promovido nesta época de alargamento, no 9º lugar, soma quase o dobro de pontos do que os golos que marcou.

 Sete para 13: ou seja, cada golo vale quase dois pontos.

 Está na classificação à frente do Marítimo, que apesar do modesto lugar na tabela não perde na comparação com a época passada.

 Só o Arouca e Penafiel têm menos golos marcados que o Moreirense, mas o seu péssimo saldo de golos e de resultados deixa-os na zona de baixo da tabela.

 Pior só o Gil Vicente, que tem curiosamente mais um golo marcado, mas ainda não conseguiu qualquer vitória. Outra diferença em relação à época passada, quando por esta altura já não havia ninguém que não tivesse ganho pelo menos dois jogos.

 A equipa de Barcelos é um caso crítico, além de ser aquela que em absoluto mais perde na comparação com a época passada, quando estava por esta altura num notável quinto lugar. Tem hoje menos 14 pontos do que tinha.

 Se na época passada por esta altura já só havia duas equipas abaixo dos nove pontos (P. Ferreira e Arouca, ambos com oito), esta época elas são cinco,  dado que reforça a ideia de desequilíbrio nesta Liga alargada a 18. Há um ano, 16 pontos separavam o primeiro do último. Agora são 22.