África do Sul pretende criar primeira plataforma de gás LNG no Cabo Oriental

0
53

O ministro dos Recursos Minerais e Energia da África do Sul, Gwede Mantashe, anunciou que o país pretende estabelecer a primeira plataforma (‘hub’) de gás LNG na zona de desenvolvimento industrial de Coega, na província do Cabo Oriental.

 O governante sul-africano, que falava na abertura da “Semana do Petróleo em África 2019”, na Cidade do Cabo, adiantou que o executivo do Presidente, Cyril Ramaphosa, aprovou recentemente o Plano Integrado de Recursos (IRP, na sigla em inglês), que “faz provisão para projectos de energia a gás a partir de 2024”.

 Neste sentido, o ministro disse estar “para breve” o quadro legal de apoio ao programa energético de gás, acrescentando que “está também em andamento um projecto de lei sobre o desenvolvimento de recursos petrolíferos” para apresentação ao executivo.

 “Embora, no curto prazo, a oportunidade seja procurar opções de importação de gás, os recursos locais e regionais de gás vão permitir a expansão em níveis de risco administráveis”, salientou.

 Mantashe mencionou especificamente as grandes descobertas de gás em Moçambique e na Tanzânia, observando que a África do Sul permanece “apta a contribuir para o desenvolvimento dessas descobertas recentes”.

 Referindo-se à descoberta de hidrocarbonetos pela multinacional francesa Total na costa sudeste da África do Sul, no início deste ano, Gwede Mantashe declarou que “essa descoberta estimulará ainda mais o potencial de ‘upstream'” (actividades de exploração, perfuração e produção) da África do Sul.

 Segundo o ministro sul-africano, “África é o continente com maior deficiência de energia do mundo, sendo que mais de 500 milhões de africanos não têm acesso a formas modernas de energia e vivem em aflição devido à poluição e degradação ambiental”.

 “A Agenda 2063 da União Africana insta cada um dos Estados-membros a desenvolver a infraestrutura energética de África, onde todos os nossos países estão conectados”, sublinhou.