África do Sul continua a ser o principal parceiro comercial de Moçambique

0
64

 A África do Sul continua a ser o principal parceiro comercial de Moçambique, mas com quotas de mercado mais pequenas, de acordo com novo anuário publicado pelo Instituto Nacional de Estatística.

 A África do Sul manteve a liderança na tabela das importações em 2018 como principal fornecedor de Moçambique, representando 27,79% das compras ao estrangeiro, seguindo-se a China que sobe do terceiro para o segundo lugar (11,51%) face a 2017 e os Emirados Árabes Unidos (7,47%), que descem uma posição.

 Do lado das exportações, a Índia mantém-se como principal destino dos produtos mo-çambicanos (quota de 27,32%) sobretudo graças ao carvão, seguindo-se os Países Baixos (17,38%) que compram alumínio e a África do Sul, em cujo cabaz se destacam o gás natural e a energia eléctrica.

 A vizinha África do Sul é o único país no ‘pódio’ dos dois pratos da balança comercial, mas, entre 2017 e 2018, a fatia de fornecedor de Moçambique baixou de 29,03% para 27,79%, enquanto que, como cliente, viu a quota baixar de 18,71% para 12,24%.

 Portugal manteve o sétimo lugar na lista de fornecedores de Moçambique, embora reduzindo a participação no total das importações de 4,22% para 3,32%.

 Já do outro lado da balança, Portugal passou a fazer mais compras a Moçambique, passando do 18.º para o 16.º lugar em 2018 – ainda assim com uma quota inferior a 1% (0,82% que compara com 0,46% em 2017) no somatório das exportações moçambicanas.

 O anuário estatístico do INE moçambicano foi divulgado na segunda-feira no seu portal na Internet.

 Ao nível do comércio externo, o défice da balança comercial do país agravou-se de 1.020 milhões de dólares em 2017 para 1.931 no último ano, lê-se no documento.

 Os principais produtos de exportação continuam a ser o carvão mineral, barras e perfis de alumínio, electricidade e gás natural, com as areias pe-sadas em quinto lugar a ganharem maior preponderância em relação a 2017.

 Seguem-se produtos agrícolas e de pesca: tabaco, açúcar, bananas, camarão, madeira, caju, algodão e lagosta.

Do lado da importação, Moçambique compra sobretudo maquinaria, gasóleo e cereais.

 

* Dez principais origins das importações moçambicanas em 2018

 

 País, valor em milhares de dólares, quota de importações

  1. África do Sul – 1.929.724 – 27,79%
  2. China – 799.466 – 11,51%
  3. Emirados Árabes Unidos – 518.874 – 7,47%
  4. Países Baixos – 518.202 – 7,46%
  5. Índia – 490.291 – 7,06%
  6. Singapura – 282.318 – 4,07%
  7. Portugal – 230.422 – 3,32%
  8. Estados Unidos – 217.819 – 3,14%
  9. Japão – 196.196 – 2,83%
  10. Tailândia – 158.086 – 2,28%

 

* Dez principais destinos das exportações moçambicanas em 2018

 

 País, valor em milhares de dólares, quota de exportações

  1. Índia – 1.369.232 – 27,32%
  2. Países Baixos – 871.052 – 17,38%
  3. África do Sul – 613.575 – 12,24%
  4. China – 239.536 – 4,78%
  5. Hong Kong – 229.981 – 4,59%
  6. Singapura – 228.602 – 4,56%
  7. Polónia – 129.619 – 2,59%
  8. Estados Unidos – 121.767 – 2,43%
  9. Reino Unido – 94.418 – 1,88%
  10. Emirados Árabes Unidos – 91.736 – 1,83%

 Fonte: Instituto Nacional de Estatística (INE) de Moçambique.