África do Sul anuncia 1,5 milhões de vacinas para o Serviço de Saúde

0
31

A África do Sul vai receber 1,5 milhões de vacinas produzidas na Índia, que serão destinadas nos próximos dois meses a profissionais de Saúde, anunciou o ministro da tutela, Zweli Mkhize.

  O Governo sul-africano priorizou cerca de 1,25 milhões de funcionários da saúde públicos e privados na vacinação, cujo início ainda não tem data anunciada no país, que regista uma segunda vaga da covid-19 impulsionada pela nova variante do coronavírus 501.V2 com mais de 1,1 milhões de infeções desde início da pandemia em março, refere em comunicado o ministro da Saúde sul-africano, depois de ter prestado informações ao parlamento por videoconferência.

  “Na nossa apresentação [ao parlamento], também afirmámos que, como país, estimamos que 1,25 milhões de profissionais de saúde públicos e privados sejam priorizados. É por isso que anunciamos que a África do Sul receberá 1.000.000 (um milhão) de doses em janeiro e 500.000 (quinhentas mil) doses em fevereiro do SII [Instituto Serum da Índia]”, lê-se no comunicado.

  “A vacina SII / AstraZeneca já foi aprovada por vários reguladores e está a ser lançada em outros países, portanto, como parte da agilização do processo regulatório, a SAHPRA [Autoridade Reguladora de Produtos de Saúde da África do Sul] está a atender a esse trabalho regulatório”, adianta.

  Zweli Mkhize refere ainda no comunicado que a aquisição da nova vacina para a covid-19 “foi feita diretamente pelo Ministério da Saúde da África do Sul”.

  “Isto fortalece a credibilidade do processo, já que todas as negociações e questões de pagamento são geridas diretamente pelo governo com o fabricante”, refere o governante sul-africano.

  “Agora iremos envolver todas as partes interessadas relevantes para garantir a implementação eficiente e eficaz da vacina para os nossos profissionais de saúde”, avança, sem precisar o início do programa de vacinação no país.

  Na informação prestada ao parlamento, o ministro Zweli Mkhize disse que a África do Sul terá de vacinar cerca de 41,3 milhões de pessoas (70%) para quebrar o ciclo de contágio do novo coronavírus no país.