África Austral passa ao grupo das primeiras prioridades nos programas de acção da AICEP

0
52
África Austral

África AustralPortugal pretende traduzir em comércio e investimento os seculares laços históricos e culturais com os países da África Austral e nesse sentido tem em curso, através da Agência para o Investimento e Comércio Externo, programas de acção para motivar os empresários portugueses, onde quer que eles se encontrem.

Foi isso que veio também fazer à África do Sul o presidente da AICEP, dr. Basílio Horta, que na quinta-feira teve em Pretória um convívio com alguns empresários portugueses, numa recepção de cortesia oferecida pelo embaixador Ramos Pinto. Ao recolocar a África Austral no grupo das primeiras prioridades dos programas de acção da AICEP, Basílio Horta disse que “a presença económica portuguesa em África deve ter uma visão regional, na qual a África do Sul tem de estar presente”.

Basílio Horta, que antes de chegar à África do Sul participou na Feira Internacional de Maputo, desdobrou-se durante o dia de quinta-feira em encontros com agentes económicos públicos e privados em Joanesburgo e Pretória tendentes a abrir novas janelas de oportunidades para a economia portuguesa na mais forte economia africana. Em declarações à Lusa na capital sul-africana, Basílio Horta disse estar optimista com as perspectivas de consolidação dos laços económicos entre Portugal e a África do Sul, definindo à partida os sectores das energias tradicionais e renováveis, componentes automóveis – área em que a África do Sul importa 60% daquilo que a sua indústria necessita na montagem de veículos -, agro-indústria e moldes como aqueles em que as empresas portuguesas têm mais possibilidades de penetração a curto-prazo.

Os empresários portugueses têm de partilhar esta convicção de que, através da África do Sul, podem ir mais longe, e, quando vemos a África do Sul ter uma relação com Angola agora em fase de dinamização, é óbvio que as empresas portuguesas não se podem alhear dessa aproximação", salientou o presidente da AICEP. Para Basílio Horta, esta visita marca "uma nova era" nas relações económicas de Portugal com a África do Sul, um país que classifica como "a grande potência regional" e uma espécie de vértice fundamental no desenvolvimento  de toda a África Austral, onde se situam dois parceiros naturais de Portugal: Angola e Moçambique. Para agilizar a acção na persecução dos objectivos, o presidente da AICEP revelou ter estabelecido nesta deslocação uma coordenação conjunta para os assuntos de Moçambique e África do Sul.

Declarando-se "orgulhoso" pelo facto do pavilhão português ter sido eleito "o melhor da Facim" e recebido a Medalha de Ouro do certame, opresidente da AICEP garante que "a presença na África do Sul permitirá também potenciar a presença portuguesa noutros mercados e países africanos e não só".