ACP de Pretória comemora 49.º aniversário

0
43
ACP de Pretória comemora 49.º aniversário

Comemorar um aniversário só tem significado se a entidade tiver vitalidade, união e perspectiva de futuro. E a ACP de Pretória tem. Palavras do embaixador António Ricoca Freire, na festa do 49.º aniversário da colectividade.

 

No penúltimo sábado houve festa, e grande, na Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória. Com o salão repleto de associados, familiares e convidados, e decorado a preceito, a instituição celebrava, com uma generosa distribuição de lembranças, o seu 49.º aniversário.

 O embaixador esteve presente e coube-lhe fazer o discurso da noite. Para An-tónio Ricoca Freire, comemorar um aniversário só tem significado se a entidade aniversariante tiver conteúdo e vitalidade.

 O diplomata recordou que, depois de ter chegado à África do Sul em Julho de 2012, a primeira festa em que participara fora precisamente a do aniversário da ACPP. Dois anos depois disse que “estou aqui hoje a comemorar convosco o 49º aniversário da Associação. Mas isso, apesar de ser uma idade respeitável, não significa nada se não for comemorarmos a vitalidade, a união e uma perspectiva de futuro para a ACPP”.

 Considerando que a ACPP “é uma das colectividades com mais vitalidade” no seio da comunidade portuguesa, o embaixador salientou que, assim, “vale a pena” celebrar a efeméride.

 Em adição ao reconhecimento de uma grande vitalidade, Ricoca Freire disse sentir na ACPP “uma maior união e um sentimento de amizade e de solidariedade”.

 “É sobretudo por isso que dou os parabéns à ACPP pelos seus 49 anos, na pessoa do seu presidente, que assumiu funções há bem pouco tempo”, afirmou o embaixador.

 O orador criticou o facto das associações se fecharem sobre elas mesmas. “O movimento associativo tem uma vivência pobre “, disse o embaixador, aconselhando-o a “virar-se para fora”.

 No prosseguimento do seu improviso, Ricoca Freire referiu que “a comunidade portuguesa não é o somatório de associações, maiores ou menores, mas é ela própria uma grande identidade que deve ser vista como uma entidade global”.

 “Quem alimenta a vida comunitária e associativa é a comunidade portuguesa no seu todo. Esse é que é o coração cujo bater faz viver todas as associações”, salientou o embaixador, para concluir que “ao comemorarmos os 49 anos da ACPP estamos a celebrar os muitos e muitos anos da comunidade portuguesa”.

 A segunda parte da sua intervenção foi dedicada ao futuro da comunidade – a juventude. Ricoca Freire disse ter recebido recentemente na Embaixada uma delegação da comissão instaladora da SAPY – South Africa Portuguese Youth, uma associação de jovens criada há dois anos e que conseguiu agora registar-se oficialmente nos termos da legislação sul-africana.

 Ao receber essa delegação em Pretória, o em-baixador entregou uma contribuição de cerca de 50.000 randes do governo português à SAPY, “como reconhecimento das necessidades das camadas mais jovens, porque são eles a geração que vai alimentar e activar a comunidade portuguesa nas próximas décadas”.

 “Podem procurar alguma inspiração no movimento associativo tradicional, mas têm que ser os jovens a definir os objectivos da sua actividade e estes não podem ser em 2014 os que nortearam os das associações há 40 aos atrás” – disse.

 O embaixador salientou que “esta associação e outras em vias de formação, como a Academia Jovem, e não a Academia do Bacalhau Jovem –  como Ricoca Freire quis enfatizar – vão convergir com as associações antigas, não com o objectivo de servirem-se mas para servir a comunidade portuguesa, com amor por Portugal e orgulho pelas raizes portuguesas, as mesmas que determinaram as velhas associações portuguesas na africa do sul”.

 O embaixador apelou a um apoio terno e amigo a estas associações de jovens, “na medida em que eles quiserem ser ajudados na realização dos seus objectivos”.

 Para Ricoca Freire, “as associações têm que se renovar porque com as suas estruturas envelhecidas já não servem os interesses dos associados”, pelo que “celebrar aniversários, sim, mas desde que essas associações tenham vitalidade”.

 Nesse sentido, falou de “abertura à juventude e comunicação em rede”, adiantando que “o estar virado sobre si mesmo é um caminho para a senelidade, o que não é o caso da ACP de Pretória”.

 O embaixador terminou o seu discurso dizendo que “ao dar os parabéns ao presidente da Associação, estou a dar os parabéns a todos os que se encontram nesta sala e também à comunidade portuguesa, da qual a ACPP é uma das filhas”.

 A festa tinha sido aberta anteriormente pelo presidente da ACP de Pretória, Américo Pimentel, que agradeceu a presença do embaixador, da conselheira diplomática, comendadores, presidentes das várias agremiações portuguesas de Pretória, patrocinadores, membros da Direcção da ACPP, associados e familiares.

 Américo Pimental frisou que, no seu ainda curto mandato como presidente da colectividade, a Asso-ciação realizou com sucesso as festas do Dia da Mãe, com a ajuda da TMM, o Dia de Portugal abrilhantado pela cançonetista Ana Malhoa, vinda de Lisboa, e o Mega Mix Party, com um cartaz de artistas sul-africanos.

 Pimentel disse que a sua missão e da Direcção a que preside, quase toda composta por pessoas muito ocupadas com os seus próprios negócios, não tem sido uma tarefa fácil, adiantando que “tudo é feito por amor a esta Casa”.

 Também afirmou haver a necessidade de fazer todos os meses um grande esforço financeiro para manter a Associação, devido aos seus elevados custos de manutenção, situação que ocorre num momento em que muitos elementos da comunidade e associados da colectividade sofrem com a crise económica que o país está a atravessar.

 O presidente foi incansável nos agradecimentos e generoso na oferta de lembranças. Agradeceu aos patrocinadores, à equipa de senhoras, nomeadamente à Carla, que ajudou na decoração do salão e ao Peter que o tem decorado em todas as festas ao longo dos últimos cinco anos, ao Gerald e à Yolandie na gestão do bar e da cozinha e a toda a sua equipa de trabalho, a todos os elementos da sua Direcção, pelo sacrifício do tempo de convívio familiar em prol da associação e sem os quais nada teria sido possível executar, finalizando com um profundo agradecimento a todos os sócios e amigos da Casa que se chama Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória.

 Américo Pimentel ofereceu ao embaixador António Ricoca Freire uma garrafa de vinho especialmente engarrafado para o aniversário da ACPP e um prato comemorativo da efeméride e Tina Pimentel distinguiu a conselheira diplomática da Embaixada, Ana Brito, com um ramo de flores.

 Carla Ferreira e Tina Pimentel tiveram depois a tarefa de entregar medalhas comemorativas aos presidentes ou representantes das outras colectividades convidadas para a festa, enquanto Américo Pimentel chamou a si a missão de dar testemunho do seu muito obrigado aos patrocinadores da ACPP, oferecendo garrafas de vinho assinalando a data e pratos com gravação especial da efeméride.

 Receberam ainda presentes as senhoras que ajudaram com o seu voluntariado a Associação ao longo do ano, os membros dos órgãos associativos da colectividade e todos os sócios presentes.

 Num dos intervalos da música que proporcionou um pé de dança a muitos pares, foram leiloados dois bolos, um dos quais o de aniversário, que rendeu 10.000 randes, e camisolas do Benfica, do Sporting e do FC Porto.

 A ACP de Pretória tem actualmente como dirigentes os seguintes associados: Direcção – Américo Pimentel, presidente: Luís Marques, 1.º vice-presidente; José Rodrigues, 2.º vice-presidente; Carla Ferreira, presidente da Comissão de Festas; Mário Jorge, presidente sem pasta; Manny Marques, 1.º secretário; Anacleto Guiomar, 2.º secretário; Paulo Ferreira, 1.º tesoureiro; Dimitri Kourantas, 2.º tesoureiro; Cláudio Araújo, desporto – hóquei em patins: José Cortiço, desporto – futebol; Miguel Maia, juventude; Eugénio Lopes, relações públicas; Fernando Carvalho, Ilidio Cardoso, José Moutinho, Nelson Nunes e José Silva, vogais. Assembleia Geral: Manuel José, Abílio Moutinho e Carlos Nunes. Conselho Fiscal: Rui Ferreira, Tino Marques e Philip da Costa.