Acordo de livre comércio para 55 países africanos entrou em vigor

0
51

O Acordo de Livre Comércio Continental Africano, que visa criar em várias fases um mercado único de produtos e serviços para 55 países, entrou em vigor, mas o seu lançamento oficial só está previsto para Julho.

 “Marco histórico!”, declarou o comissário para o Comércio e Indústria da Comissão da União Africana (UA), Albert Muchanga, na sua conta no Twitter, referindo que o acordo “entrou em vigor hoje [30 de Maio]”.

 O acordo, que pretende criar a maior zona de livre comércio do mundo, cumpriu a 30 de Abril o limite legal para ser ratificado por um mínimo de 22 nações, embora esse número já seja de 23 países.

 “Nós celebramos o triunfo de um compromisso cego, pragmático e a nível continental para a integração económica”, acrescentou Muchanga, explicando que o tratado será lançado nos 23 países que o ratificaram a 7 de Julho, durante a cimeira da União Africana em Niamey, no Níger.

 Todos os Estados africanos – excepto a Nigéria (a maior economia do continente), Benim e a Eritreia -, assinaram o acordo e potências comerciais como África do Sul, Quénia ou Egipto estão entre os que o ratificaram.

 Na sua primeira fase operacional, o acordo de livre comércio visa eliminar as tarifas sobre 90% dos produtos de cada país, dinamizando o comércio entre as nações africanas, que agora é cerca de 17% do comércio total do continente, e em seguida será estendido aos serviços.

 Uma vez operacional, o AfCFTA será a maior área de livre comércio no mundo, desde a fundação da Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995, com 1,2 biliões de consumidores e um produto interno bruto (PIB) combinado de cerca de 3,4 biliões de dólares (3% do mundo).