Academia do Bacalhau de Pretória oferece donativo de R50.000 à Igreja de Santa Maria

0
60
Academia

A Academia do Bacalhau de Pretória promoveu na tarde da penúltima quinta-feira, 1 de Outubro, no restaurante Continental da ACPP, o seu convívio mensal, contando-se entre as cerca de quatro dezenas de presenças, o Frei Gilberto Teixeira, pároco da Igreja de Santa Maria dos Portugueses, o adido comercial João Pedro Pereira, os comendadores Mário Ferreira e Ivo de Sousa, este último que em representação da Academia Mãe de Joanesburgo, ali apresentou cumprimentos para todos do presidente da mesma, José Contente, o presidente da ACPP, Américo Pimentel, o da Casa do Benfica, Lino Faria, e o vice-presidente da Casa Social da Madeira, Miguel Carreira.

 Ao usar da palavra para a todos agradecer a sua presença ali nessa tarde, onde diga-se se notava um alegre e saudável ambiente, e não foi esquecido “O Século de Joanesburgo”, na cobertura do acontecimento, o presidente desta Academia da capital, Tony Oliveira, mostrando-se reconhecido ao patrocinador da refeição, João Serradinho, ex-presidente desta tertúlia, bem assim a outros que ali colaboraram nessa tarde, casos do comendador Mário Ferreira e de Luís Ribeiro, não esquecendo a ACPP pela cedência das instalações para este almoço, anunciou o donativo de R50.000 à igreja de Santa Maria, destinados à aquisição do gerador que se pretende para o Centro-Dia S. Francisco de Assis, para idosos da comunidade.

 Anunciando como “sponsors” do próximo convívio, também marcado para este mesmo restaurante da ACPP, José Dias Roda e Lino Faria, Tony Oliveira descreveu nas suas palavras a importância que esta Academia do Bacalhau a que preside tem para a comunidade portuguesa, na medida em que destina as receitas que vai conseguindo, a favor de instituições que pela sua natureza merecem ser ajudadas, e se enquadram “Os Lusíadas”, além de como já tem acontecido, poder socorrer de emergência alguém da nossa comunidade em extremas dificuldades, daí e como muito importante, como aliás referiu ser sua intenção, tudo fazer para juntar a comuni-dade, porque unida podemos continuar a realizar algo importante, e dispersos não vamos a lado nenhum.

 Não escondendo a sua satisfação pela aderência das pessoas a este convívio, e a continuar assim a encorajar quem a vai dirigindo, mereceu ali uma grande ovação dos presentes, o donativo de R100.000 do comendador Mário Ferreira, à Igreja de Santa Maria dos Portugueses, que como é sabido tem a seu cargo o dispendioso lar de idosos para albergar os nossos velhinhos, e que graças a generosidades com esta vai permitindo albergar, dentro das suas possibilidades, quem devido a avançada ida-de a ele recorre para o resto das suas vidas, tendo o pároco desta igreja católica portuguesa, Frei Gilberto Teixeira, agradecido os donativos ali anunciados, bem assim, e com o mesmo fim, um outro de oito mil euros da Secretaria das Comunidades Portuguesas, a todas essas ajudas se mostrando reconhecido.

 A pedido de João Serradinho, que ali justificou o motivo, foi também oferecido por esta Academia do Bacalhau, mediante o parecer dos presentes, R5.000 à igreja católica de Sochanguve, que tem a dirigi-la o reverendo Joseph Molapo, este que já algumas vezes tem marcado presença nos convívios promovidos por esta mesma Academia, assim como outros realizados na igreja de Santa Maria, o que prova alguma simpatia pela nossa comunidade.

 Ao nomear Lino Faria para “carrasco”, na aplicação de multas da praxe, com Tony Oliveira a aconselhar-lhe no entanto prudência, já que como referiu, tem havido compadres a manifestar o seu desagrado, quanto aos altos valores que ultimamente vêm sendo aplicados, regozijando-se no entanto com o número de presenças ali nessa tarde, e consequentes apoios recebidos, prova evidente que esta Academia continua bem viva e a ser apoiada, como disso foi prova o resultado do leilão que de seguida ali fez de camisola do FC do Porto que o comendador Ivo de Sousa trouxera de Portugal, e de algum whisky oferecido, a juntar a alguns donativos, como sublinhou sempre bem-vindos.

 No decorrer do almoço, onde foi guardado um minuto de silêncio à memória de Bernardino Francisco de Assunção, falecido em Pretória terça-feira anterior, sócio fundador desta ACPP, sogro do conhecido e bom amigo desta mesma co-lectividade, Jaime Matias, foram por último entregues diplomas aos novos compadres desta Academia, Joaquim Pimentel, João Pedro Pereira, Américo Pimentel, Agostinho de Jesus Santos, e aos irmãos Nelson e Francisco Nunes, a quem foi dedicado o “gavião do penacho” a encerrar o convívio.