Academia do Bacalhau de Pretória homenageou compadres de Rustenburg e Bethal

0
46
Academia do Bacalhau de Pretória homenageou compadres de Rustenburg e Bethal

Academia do Bacalhau de Pretória homenageou compadres de Rustenburg e BethalRealizou-se na quinta-feira passada o convívio mensal de Agosto da Academia do Bacalhau de Pretória, que registou a presença de cerca de quarenta comadres e compadres.

Os convidados de honra foram Salvador Rodrigues, José Manuel, Pedro Achadi-nha e Manuel Mota, de Rustenburg, e Carlos Gouveia, um empresário de sucesso de Bethal, os quais contribuiram para um ambiente fantástico, que acabou por ser um dos mais alegres almoços dos últimos meses, devido a ter terminado com música tradici-onal portuguesa cantada pelos compadres e comadres presentes.

 O compadre Manuel Furriel dirigiu o leilão de duas garrafas de whisky oferecidas pela proprietária do restaurante, Yvone Pestana, e outra garrafa oferecida pela enferma Nicole Alves, num gesto de reconhecimento à ajuda que recebeu da Academia do Bacalhau de Pretória.
 Foi designado “carrasco” o compadre Jaime Caires que, em abono da verdade, fez um excelente trabalho.
 De realçar que os convidados de honra não pagam a refeição, mas reuniram-se e deci-diram fazer a entrega de uma quantia significativa à tertúlia de Pretória.

 Observe-se que o convívio começou com a oração feita pela comadre Teresa de Sou-sa, em virtude do compadre Frei Gilberto Teixeira se encontrar em Portugal. Foi pedida a benção de Deus para os alimentos, após o que foi entoado o Hino das Academias do Bacalhau. Na sua intervenção de boas vindas, o presidente da Academia do Bacalhau de Pretória, Ivo de Sousa, agradeceu a presença de todos, especialmente dos convidados de honra.
 O orador felicitou o compadre Manny Pestana pela ideia do último convívio, de que foi o patrocinador principal na angariação de fundos para a jovem enferma portuguesa Ni-cole Alves que necessita de um tratamento durante seis meses com injecções importadas dos Estados Unidos para evitar que o seu estado de saúde se agrave para cancro de sangue (Nicole Alves, com a ajuda da Comunidade Portuguesa que tem correspondido ao apelo da campanha feita no “Século” – os 23.000 randes angariados pela generosidade da Academia do Bacalhau de Pretória foram aplicados no pagamento da primeira série de injecções, que Nicole Alves já está a receber e, conforme disse ao nosso Jornal, “a sentir-se melhor fisica e psiquicamente, com grati-dão sem limites a todos quantos me têm ajudado”.

CONGRESSO MUNDIAL DAS ACADEMIAS EM RECIFE (BRASIL)

 O presidente Ivo de Sousa lançou o apelo às comadres e compadres que desejem participar no próximo Congresso Mundial das Academias do Bacalhau a realizar na cidade do Recife, no Brasil, para que a representação da África do Sul (onde nasceu o movimento das Academias do Bacalhau) fique condignamente participada.
 Em nome dos convidados de honra usou da palavra José Salvador Rodrigues, de Rustenburg, que afirmou ter sido um prazer estarem presentes no convívio e que notou melhor ter a confraternização sido como um almoço de família pela maneira como os compadres e comadres de Pretória estão unidos.

Salvador Rodrigues também convidou os compadres de Pretória a irem ao jantar da Academia de Rustenburg a 10 de Setembro, no qual irá actuar o trio musical “Amigos da Hora”, de Pretória.
 O empresário de Bethal, Carlos Gouveia, antigo presidente do Rotary International daquela área, usou da palavra para agradecer o convite e, também, falou sobre a sua vida pessoal.
 Referiu que estava financeiramente bem na vida e que, de um momento para outro, ficou completamente pobre. Com a fé que tem em Deus, recebeu um telefonema de uma companhia sedeada na Cidade do Cabo que lhe patrocinou o arranque de um negócio “franchise” até se estabilizar, investimento que a companhia do Cabo suportou na fase inicial, após o que o negócio passou a pertencer a Carlos Gouveia, que hoje, novamente, voltou a ficar rico.

 As palavras do empresário de Bethal foram recebidas de forma sensibilizada pelos compadres e comadres, como um exemplo de perseverança, capacidade de realização profissional e liderança numa equipa de trabalho e sacrifício em enfrentar as contrariedades na vida quotidiana especialmente nesta conjuntura de crise económica.
 O convívio prolongou-se, já que os participantes não tinham pressa de regressar às suas casas, com toda a gente a cantar com grande euforia músicas tradicionais portuguesas.