Academia do Bacalhau de Pretória comemorou XXIII aniversário

0
77
Academia do Bacalhau

Academia do BacalhauCom um concorrido almoço tipo self-service, gratuito aos compadres, contando-se entre a meia centena de presenças,  Frei Gilberto Teixeira, pároco da igreja de Santa Maria dos Portugueses.

E o seu colega Manuel Nhaquila, o Padre Joseph da igreja católica de Sochanguve, Victor de Castro, da Tertúlia Castrense em Regents Park, de Joanesburgo, o presidente da Casa Social da Madeira, Damião de Freitas, o comendador Estêvão Rosa, e os agentes do “Metro Police”, com funções de chefia no departamento de tráfico, T. Owen Mtsetweni e Sam Rabaka-le, foi comemorado na tar-de da penúltima quinta-feira, 24 de Junho, dia de S. João, no Strydfontein Family Restaurante, em Pretoria North, o vigésimo terceiro aniversário da Academia do Bacalhau da ca-pital sul-africana.
 Com o presidente da ter-túlia, Ivo de Sousa, a integrar o conjunto musical “Amigos da Hora”, de que faz parte como componente, e ali actuou neste aniversário, estiveram as boas vindas às presenças, e agradecimentos aos patrocinadores do convívio, Frank Cunha, Fernando Gatinho e António Correia de Freitas, a cargo do vice-presidente, Manuel Furriel, que ao saudar todos os convivas ali reunidos, aproveitou para nas suas palavras se referir à importância dos convívios que esta e outras Academias vêm promovendo, já que é através delas que se vão conseguindo amealhar alguns fundos destinados a ajudar quem precisa.

 Com essa mesma finalidade foi ali feito por Damião de Freitas, o leilão do whisky oferecido pela proprietária do restaurante on-de se convivia, Yvonne Pestana, e João Serradi-nho, enquanto a aplicação das multas da praxe, estiveram a cargo de Jaime de Caíres, mais uma vez nomeado “carrasco” neste tipo de confraternizações, e por se tratar de aniversário, todas as garrafas de vinho, tanto consumidas no almoço, como outras vendidas para recordação, continham no seu rótulo a marcha das Academias do Bacalhau

 Destaque neste convívio, foi dado à presença do pá-roco da igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretoria West, Frei Gil-berto Teixeira, que neste preciso Dia de S. João, festejava o seu aniversário natalício, e ali distinguido com lembrança alusiva à efeméride, um sacerdote que pelo bom trabalho de-senvolvido na paróquia se tornou muito apreciado e estimado na comunidade, daí o apoio dos paroquianos e não só, a todas as iniciativas válidas e pelo seu carácter merecem ser ajudadas, como é o caso do Centro de Dia S. Francisco de Assis, para idosos da comunidade, provavelmente só ele, ou quem mais de perto o acompanha no dia-a-dia saberá avaliar o quanto dispen-dioso e difícil se torna administrar um lar como aquele destinado à terceira idade.

 Embora envolvido no agrupamento que ali actuou, o presidente desta Academia, Ivo de Sousa, – que havia recebido uma mensagem do presidente da Academia-Mãe em Joanesburgo, Rudy Gallego, de felicitações ao aniversário da congénere de Pretória, aproveitando para elogiar o forte espírito filantrópico como esta aniversariante e todas as restantes Academias tanto têm contribuído para aliviar o sofrimento dos menos afortunados, exemplo esse a constituir motivo de orgulho para todas as tertúlias -, fez questão de no mínimo agradecer a presença de todos no aniversário que ali se comemorava, e se mostrar reconhecido aos “sponsors” da refeição e outras colabora-ções que tivera para este aniversário da tertúlia a que preside, destacando entre a meia centena de comparências, a de Frei Gilberto Teixeira, a quem desejou um feliz aniversá-rio, a que o homenageado respondeu com estas palavras:

 “Obrigado pela vossa simpatia, e que Deus me ajude a estar mais alguns anos convosco, em convívios como este”.
 Também o encarregado do departamento de tráfico da “Metro Police”, T. Owen Mt-setweni, a quem no convívio foi entregue diploma de novo compadre desta Academia de Pretória, e destacadas por Ivo de Sousa, certas louváveis atitudes demonstradas por esse novo membro, que o classificam de amigo dos portugueses, agradeceu o certificado que ali recebeu nessa tarde, e o liga à comunidade portuguesa, com quem na medida do possível terá muito prazer em continuar a conviver.