Academia do Bacalhau de Joanesburgo – um convívio recheado de acontecimentos

0
112
Academia do Bacalhau de Joanesburgo - um convívio recheado de acontecimentos

O convívio da Academia do Bacalhau de Joanesburgo realizado na passada quinta-feira na Adega de Bedfordview registou a presença de alguns antigos presidentes da tertúlia e de vários dirigentes da nova Direcção da Sociedade Portuguesa de Beneficência, facto que revela as boas relações actualmente existentes entre as duas instituições. Esta circunstância foi inteligentemente realçada pelo presidente da Academia, José Manuel Sampaio, que apenas citou os nomes de todos eles.

Um novo compadre e uma visita marcaram o almoço. Luis Miguel do Carmo Jorge, administrador executivo da Sodecia, em Pretória, recebeu o Diploma de Compadre, depois de ter completado o tirocínio regulamentado pelas normas da Academia e o visitante, acompanhado pelo compadre Ramiro Sebastião, foi o dr. Luís Nuno Gonçalves, director comercial do Banco BPI, que prometeu voltar tantas vezes quantas as necessárias para ser admitido como compadre.

Luis Gonçalves elogiou a missão solidária da Academia do Bacalhau e enalteceu o apoio desenvolvido pela tertúlia no Lar de Idosos Rainha Santa Isabel, que visitara da parte da manhã. Do acompanha-mento dessa visita ocupou-se o vice-presidente do Board of Trustees da SPB, José Luís Rodrigues, que sensibilizou o visitante e o Banco que ele representa para o projecto de requalificação da enfermaria, que vai entrar na fase de execução.

 Durante o almoço, o tesoureiro Vitor Salazar referiu que a Academia é já fiel depositária de 56.000 randes, doados por compadres, com destino às obras da enfermaria do Lar. Até ao Natal a Direcção da Academia irá decidir qual será a sua contribuição para a Sociedade de Beneficência.

 Vitor Salazar também se referiu ao Projecto dos Cabazes de Natal para famílias carenciadas, anualmente suportado pelos fundos da Academia e que foi iniciado pela presidência do compadre Manuel Silva.

 A mais recente contribuição da Academia do Bacalhau de Joanesburgo, no valor de 33.000 randes, destinou-se ao financiamento da compra de géneros alimentícios para a Casa do Gaiato de Maputo, gesto que coincidiu com a jornada ciclista de solidariedade entre as duas cidades, em parceria com o Departamento de Ciclismo do Luso Africa.

 Entretanto, a rede mundial das Academias continua a crescer e o presidente da Academia-Mãe anunciou o empenho que a de Alto Mirandinos, na Venezuela, tem agora na sua abertura oficial, depois de alguns adiamentos devido à situação de crise vivida naquele país. José Manuel Sampaio fez um apelo aos compadres para se constituir uma delegação que se deslocará proximamente àquela cidade venezuelana, onde está pro-metido, pelos futuros compadres locais, um grande programa comemorativo.

 A Festa do Magusto nos terrenos da SPB em Albertskroon, marcada para o fim de semana de 21 a 23 de Novembro, com o jantar de gala de sexta-feira a ser simultaneamente a Festa de Natal da Academia do Bacalhau, voltou a ser anunciada aos compadres por José Luís Rodrigues, que agradeceu ao Século de Joanesburgo a divulgação que dela tem vindo a fazer.

 As próximas iniciativas culturais do Consulado-Geral em Joanesburgo foram anunciadas aos compadres, durante o almoço da Academia, pela comadre Luisa Fragoso. No sábado, dia 15, pelas 19.00 horas, realiza-se no Atrium da Wits University, South West Engineering Building, em Joanesburgo, um concerto de música clássica em que participarão o pianista Nuno Vieira de Almeida e a soprano Ana Maria Pinto, vindos de Portugal, e para a semana seguinte está agendado um festival de curtas-metragens portuguesas.

 A cônsul-geral agradeceu o apoio dos patrocinadores, incluindo o Grupo Século, que possibilitaram a impressão de uma brochura que irá ser distribuída durante esse festival de cinema português.

 Marco específico da cultura gastronómica portuguesa, o Vinho do Porto e a sua maturação foi tema de uma intervenção do compadre Rui Afonso, professor de Português na África do Sul e descendente de uma família da região do Douro que se dedica há séculos a uma pequena produção artesanal daquele vinho e à sucedânea aguardente vínica.

 Com parte da matéria-prima vinda da região de origem, Rui Afonso produziu localmente e com artefactos artesanais do património familiar uma preciosa aguardente vínica com um volume de álcool próximo dos 60 por cento. Foi o produto dessa sua tarefa caseira que na quinta-feira quis oferecer e dar a provar aos compadres como digestivo para acompanharem o café. Uma garrafa para os compadres e outra para o vice-presidente da Academia do Bacalhau, José Contente, oferta acompanhada por um elogio ao carácter e companheirismo do homenageado, que pauta a sua postura pela alegria de viver.

 Rui Afonso enalteceu as qualidades humanas de José Contente, que passou a conhecer mais profundamente na jornada de solidariedade que, em representação da Academia do Bacalhau, os levou recentemente a Maputo. Conforme salientou, o bem estar de todos os que o acompanharam foi sempre uma constante do seu empenho e das suas preocupações.

Já no anterior convívio da Academia, o presidente da tertúlia, José Manuel Sampaio, tinha destacado o seu desempenho e a sua forma de socializar durante o Congres-so Mundial das Academias em Newark, nos Estados Unidos.

 Com almoço adiado, para se concentrar na sua tarefa de carrasco-mor, o compadre Rui Roxo foi muito aplaudido nos seus comentários, depois de ter pautado a sua intervenção numa sucessão de referências às mulheres inteligentes.

Após a aplicação das multas, Rui Roxo apelou à generosidade e caridade dos compa-dres a favor dos compatriotas mais carenciados, tendo terminado com a afirmação de que os residentes do Lar de Idosos da SPB vivem agora em paz.

 Por proposta do compadre João Carreira, foi entoado um gavião de penacho em honra do carrasco-mor.

 O convívio terminou com Hi-no das Academias, entoação que foi liderada pelo compadre Ivo de Sousa.