A título póstumo: Comendador Horácio Roque distinguido com o Prémio Liderança pela Revista “Exame”

0
207
revista Exame distinguiu o Comendador Horácio Roque

revista Exame distinguiu o Comendador Horácio RoqueA revista Exame distinguiu o Comendador Horácio Roque com o Prémio Líder do Ano, um galardão a título póstumo que coube à filha mais velha do fundador do Banif, dra. Teresa Roque, receber.

 Para além do desempe-nho do Grupo Banif no dossier Banca & Seguros e na edição especial 500 Maiores e Melhores Empresas da Exame, este prémio veio ainda homenagear a carreira de um empresário ao qual se reconhece “uma capacidade extraordinária de criar valor e de o partilhar com amigos e colaboradores”, refere a última edição do semanário Expresso.

 No evento de entrega do prémio, realizado no passado dia 19 de Outubro no Hotel Pestana Palace, em Lisboa, Teresa Roque destacou a ambição e a capa-cidade de identificar oportunidades de negócio do pai, citando-o: “Tenho para mim que os sucessos que tenho conseguido alcançar ao longo da minha vida de empresário não teriam sido possíveis se uma regra de ouro que sempre segui e que consiste no respeito autêntico pelos meus co-laboradores”.

PINTO BALSEMÃO RECORDA HORÁCIO ROQUE

 “A sensação que tenho é que Horácio Roque morreu cedo de mais. Tinha 66 anos e o trabalho era a sua adrenalina. O comendador tinha uma capacidade extraordinária de criar valor, mas também de o partilhar com os amigos e colaboradores. Quando eu chegava a uma sala como aquela onde estivémos antes do almoço, se visse o Horácio, por empatia, ia ter com ele. Era uma pessoa de quem me aproximava sem saber muito bem porquê e acho que isso revela uma grande admiração. O exemplo dele serve-nos para o futuro”, foi desta forma, e com saudade, que Francisco Pinto Balsemão, presidente do Grupo Impresa, se referiu a Horácio Roque quando entregou a Teresa Roque, filha mais velha do banqueiro, falecido a 19 de Maio passado, o Prémio Liderança, como a personalidade que mais se distinguiu no sector da Banca e Seguros em 2009.

TERESA ROQUE AFIRMA-SE UMA FILHA ORGULHOSA

 O momento em que Teresa Roque foi receber, em nome do pai, o galardão atribuído a título póstumo, tornou-se, sem dúvida, o mais emotivo da cerimónia de entrega dos prémios Melhores Bancos e Seguradoras, da Revista “Exame”.
 Estes prémios foram entregues precisamente no dia em que se assinalavam os cinco meses da morte do Comendador Horácio Roque, coincidência que acabou por tornar a ocasião ainda mais recordadora.

 Ao agradecer a distinção conferida ao seu pai, a dra. Teresa Roque, afirmou durante a cerimónia:
 “É com honra e orgulho que recebo, em nome do pai, Horácio Roque, este “Prémio Liderança” que a revista Exame entendeu hoje aqui atribuir-lhe.
 Faz hoje cinco meses que o pai faleceu, mas este prémio demonstra que, apesar de já não estar entre nós, ele continua connosco.
 Isso, para nós, é um conforto muito grande. A minha irmã Cristina, a Paula e eu agradecemos esta vossa homenagem.
 Acrescento que este reconhecimento assume pa-ra nós um apreço espcial, não só porque parte de um grupo editorial de referência no nosso país, mas também porque o seu líder e nosso anfitrião, doutor Francisco Pinto Balsemão é, ele próprio, tal como o pai o era, um notável exemplo de liderança, aliado a um incansável espírito empreendedor

 …maybe it takes one to know one…
 Não me quero alongar demasiado mas, tratando-se da primeira atribuição deste prémio, que pretende agraciar a “liderança” como elemento distintivo do perfil do premiado, penso que não devo deixar de me referir à forma como o pai via e assumia a “liderança” nos diversos projectos em que se envolveu.
 No entanto, sei que não sou propriamente a pessoa mais isenta para me referir ao perfil de liderança de Horácio Roque.
 Os filhos têm sempre uma visão muito própria e particular sobre os pais … No meu caso adicionalmente influenciada pela enorme saudade que sinto com a sua perda.

 Estou convencida de que qualquer um dos milhares de colaboradores das suas empresas poderia, mais fácil e objectivamente, de-monstrar em que termos e em que medida a sua carismática liderança contri-buiu para a criação de projectos bem sucedidos.
 Prefiro, por isso, partilhar convosco algumas impressões pessoais.
 Um certo dia, acompanhei o pai à Universidade Autónoma de Lisboa, onde foi proferir uma “oração de sa-piência”, a pedido do magnífico reitor, o senhor Professor Doutor Justino Mendes de Almeida. O tema foi deixado ao seu critério e como não podia deixar de ser o pai escolheu o empreendedorismo mais particularmente “Empreendedorismo: Uma Questão de Atitude”.

 Foi para mim curioso e revelador ouvir o pai, nesse dia, reflectir com uma pla-teia de jovens com os seus futuros ainda pela frente, sobre as lições que foi aprendendo ao longo da vida.
 Falou na importância da ambição, da capacidade de identificar e avaliar oportunidades de negócio, e da apetência para correr riscos. Falou ainda, na necessidade de sermos iguais a nós próprios, de sermos optimistas, de agirmos para concretizarmos a nossa visão.
 Quando, por fim, se referiu à “Liderança” e à sua importância, concluiu da se-guinte forma:
 “Tenho para mim que os sucessos que tenho conseguido alcançar ao longo da minha vida de empre-sário não teriam sido possíveis sem uma regra de ouro que sempre segui e que consiste no respeito autêntico pelos meus colaboradores.”

 A minha experiência, sobretudo a mais recente, adquirida através de um contacto próximo com as suas equipas, tem-me confirmado como a sua “regra de ouro” foi escrupulosamente seguida pelo pai, reflectido na motivação e no apreço com que aquelas pessoas, as suas pessoas, sempre lhe retribuiram.
 As suas palavras definem bem o tipo de líder que o pai foi: autêntico, respeitador, motivador, sempre com uma enorme preocupação para com os seus.

 Mais recentemente, ao ser agraciado pelo Rei de Espanha com a “Encomienda de La Orden de Isabel La Católica”, o pai fez questão de agradecer à sua família, aos seus amigos e a todos os colaboradores das empresas por si lideradas, salientando, nas suas próprias palavras, que “esta homenagem, que tanto me honra, é o resultado do apoio de todos eles e, por isso, é também a sua homenagem.”

 Por isso, acredito que corresponderei à vontade do pai se, para terminar, receber este prémio também em nome
 * das empresas do universo da Rentipar: a grande Família Banif, Grupo Savoy, EMT, Mundiglobo, Habiprede Génius, Rentimédis, Rentipar Seguros; e na África do Sul o Grupo Século, a Lusoglobo e o Grupo Sandown;

 * do Fernando Inverno – há ciclos que terminam e outros que começam, e, finalmente
* da Cristina (que infelizmente não pode estar aqui hoje connosco) da Paula, e em meu nome pessoal.

Muito obrigada.