4,5 milhões de randes em nova investigação médica sobre chá Rooibos

0
47

O Conselho Sul-Africano do Chá Rooibos (SARC) anunciou a realização de uma nova investigação para averiguar o potencial do chá indígena sul-africano na redução de alergias, doenças cardíacas, diabetes e cancro de pele.

 O projecto de investigação está orçado em 4,5 milhões de randes e terminará em 2022, anunciou quarta-feira aquela instituição.

 Estas doenças, em conjunto, afligem mais de 43 milhões de pessoas na África do Sul, salientou.

 Os cientistas também pretendem averiguar o impacto do chá Rooibos na flora intestinal e até que ponto poderá diminuir os efeitos colaterais na terapia anti-retroviral.

 O chá Rooibos é conhecido por ser uma boa fonte de activos biológicos, como por exemplo antioxidantes, que diferem dos encontrados em outros chás, frutas e vegetais, sendo por isso particularmente rico em fitoquímicos, como flavonóides e polifenóis, que são benéficos para a saúde humana.

 “Devido ao enorme e crescente uso de substâncias naturais para uma vida saudável em todo o mundo, é imperativo que o SARC obtenha da-dos confiáveis “sobre o potencial de cura do rooibos, já que muitos outros tratamentos à base de ervas carecem de provas conclusivas”, disse à agência noticiosa ANA, o director de pesquisa do SARC, Joe Swart.

 “Queremos fornecer aos profissionais da saúde e aos pacientes provas suficientes da eficácia do rooibos para ajudar a prevenir e gerir certas doenças. Na última década, o SARC investiu significativamente em investigação nesse sentido”, salientou.

 Joe Swart adiantou que após anos de investigação sistemática e minuciosa, realizada especificamente sobre o impacto do rooibos na saúde do coração, o SARC quer agora avançar com um estudo piloto em seres humanos na etapa final do projecto de investigação.

 O estudo determinará a quantidade de chá rooibos – equivalente a uma chávena de chá, que será necessária em forma condensada para cumprir o propósito de um nutracêutico no apoio à saúde do coração, avançou o responsável.

 O estudo de investigação de 12 semanas, com data agendada para começar em Agosto e a divulgação de resultados até o final de 2022, é essencial para entender em que medida é que uma intervenção dietética com chá rooibos pode alterar os factores de risco nas doenças cardiovasculares.