37.º Aniversário da Independência de Moçambique festejado na União Portuguesa em Turffontein

0
53
37.º Aniversário da Independência de Moçambique festejado na União Portuguesa em Turffontein

O 37.º aniversário da independência de Moçambique na África do Sul, foi marcado com uma série de actividades culturais e sociais, no penúltimo sábado, que tiveram como palco a União Portuguesa em Turffontein, Joanesburgo.

 Contando com centenas de moçambicanos, provenientes de vários pontos da África do Sul, organizados em excursões, o convívio contou com entidades oficiais, como embaixador Fernando Fazenda, cônsul-geral de Joanesburgo, Damasco Mathe, delegado do Ministério de Trabalho, Custódio Cuna, curiosamente que foi mes-tre de cerimónia, elementos responsáveis pelas comunidades e ligados ao partido no poder.
 Coincidindo com os 50 anos da fundação da Frelimo, o 37.º aniversário da independência, foi um marco invulgar em Joanesburgo, desde a própria organização e bom empe-nho das autoridades, havendo de tudo que uma festa exige.
 O programa das festividades iniciou, como habitualmente, com o entoar do hino nacional de Moçambique, seguindo-se intervenções por parte das entidades oficiais, apresentação cultural por alguns grupos musicais, encerrando com um concorrido almoço que se prolongou até tarde.
 Intervindo na ocasição, o cônsul-geral em Joanesburgo, Damasco Mathe, aproveitou para exigir à comunidade, mais organização em cerimónias do género, cumprir com o horário estabelecido. “Só organizados podemos cumprir os nossos objectivos”.
 Mathe falava a propósito do atraso verificado no início das actividades, motivado pela própria comunidade.
 Enquanto isso, o embaixador de Moçambique na África do Sul, Fernando Fazenda, antes de agredecer a presença de todos naquele convívio, bem como pessoas envolvidas na organização do mesmo, falou do significado daquela data histórica, aproveitou a ocasição que lhe foi dada para apelar mais unidade no seio das comunidades, incentivar o espírito de solidariedade junto dos bairros de resi-dência.
 Os 37 anos da independência de Moçambique também fizeram deslocar à África do Sul músicos moçambicanos de craveira internacional, que com o seu rico reportório agrada-ram a comunidade.