10 de Junho: Celebração ‘online’

0
126

Na próxima quarta-feira, 10 de Junho, celebra-se o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. As festividades, muito restritas, devido ao coronavírus, têm vindo a acontecer há alguns dias em quase todo o Mundo, onde existem comunidades com Portugal no coração.

  Muitas comunidades programaram as celebrações ‘online’ através de vídeos ao vivo nas redes sociais, particularmente Facebook, com leitura de mensagens dos diplomatas, líderes associativos e membros cívicos das comunidades.

  Exemplo disso foi o plano traçado pela comunidade portuguesa em Nova Iorque, que sentiu um “grande impacto” da pandemia e ficou “com a moral mesmo em baixo”, confor-me disse à Lusa a presidente da as-sociação New York Portuguese American Leadership Conference (NYPALC), Isabelle Coelho Mar-ques.

  A organização reuniu mensagens de apoio de celebridades, políticos portugueses e americanos, e comunidade em geral, para transmitir, junto com ‘performances’ de artistas, num evento vídeo ao vivo no Facebook para celebrar o Dia de Portugal.

  O acto realizou-se sábado na página de Facebook “New York Portuguese” e deverá ser transmitido durante 24 horas na quarta-feira, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

  “Sabem que hoje somos a comunidade mais afectada com isto e acaba por ser uma iniciativa de levantar moral”, comentou Isabelle Coelho Marques, mostrando-se muito grata pelos que apoiam a ideia e vão contribuir com diversas formas de arte e de diversos pontos do mundo.

  Para além de artistas e políticos de Portugal e dos Estados Unidos, a celebração ‘online’ conta com participações da África do Sul, Brasil, Canadá, França, Luxemburgo, Suíça e Macau.

  O convívio no ‘facebook’ não tem fronteiras e inclui não só a comunidade de emigrantes estabelecidos em Nova Iorque e outras regiões dos EUA, mas também comunidades lusófonas por todo o mundo.

  Uma iniciativa de louvor que certamente muitas comunidades portuguesas espalhadas por todos os continentes vão aderir, seguir o exemplo e assim poder celebrar o 10 de Junho.

  Na África do Sul, onde as comemorações iriam contar com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o corpo diplomático elaborou um plano alternativo, igualmente online, conforme sublinhado na mensagem do em-baixador Manuel Carvalho à Comunidade.

  Marcelo anunciou que o 10 de Junho deste ano será celebrado numa cerimónia simbólica no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, com os devidos cuidados, e propôs que as celebrações canceladas na Madeira e África do Sul se realizem em 2021.

  “Haverá a celebração do 10 de Junho em Lisboa, mas com os cui-dados impostos pelas circunstâncias. Espero que possa haver o 10 de Junho na Madeira e na África do Sul no ano que vem”, garantiu Marcelo, em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa.

  O chefe de Estado justificou a decisão de cancelar as celebrações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas na Madeira e África do Sul, em Junho deste ano, com o surto de Covid-19.

  “Implicaria a movimentação de centenas de militares e centenas de civis do Continente para a Madeira e a presença de milhares de nossos compatriotas madeirenses”, referiu, salientando, por outro lado, que África do Sul “está neste momento a viver um regime muito restritivo” devido à pandemia e que as comemorações no país implicariam também “um conjunto de deslocações” e “grandes aglomerações”.

 Quanto a 2021, se for reeleito, afirmou que “o compromisso é ser na Madeira e na África do Sul” e pro-meteu que, caso o Presidente da República seja outro, fará essa proposta ao seu sucessor.

  Numa altura em que o mundo precisa de uma bênção para se livrar de covid-19, Marcelo escolheu o arcebispo e poeta madeirense D. José Tolentino Mendonça para presidir às comemorações do 10 de Junho.

  Com esta promessa do Chefe de Estado, chama-se atenção à Comunidade portuguesa da África do Sul, activa e trabalhadora, no sentido de começar a esfregar as mãos e a pensar no programa de visita.

  É no 10 de Junho de cada ano que as comunidades portuguesas vivem o sentido de portugalidade muito intenso. Onde revivem as culturas das suas origens, através de exposi-ções, danças folclóricas, culinária re-gional, recital de poemas de Luís Vaz de Camões e outras especialidades que constam na memória.

  No 10 de Junho celebra-se o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. O feriado nacional  em Portugal assinala ainda o dia da morte do poeta Luís Vaz de Camões, em 1580, autor de Os Lusía-das, homem com muito amor à poesia, romântico e idealista.

  Nos países africanos lusófonos como em Moçambique, a Escola Portuguesa de Maputo tem organizado várias actividades alusivas à data. Notando-se nesse conjunto de acções alguns concursos entre alunos da escola, para se distinguir a melhor poesia relacionada com Ca-mões e ainda trabalhos manuais com toque português.

  O mesmo acontece em Escolas com currículo português em Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, onde o Camões Instituto da Cooperação e da Língua Portuguesa, tem tido um grande trabalho, visando a divulgação da língua, bastante rica em gramática.

  Que o Senhor nos abençoe e que o 10 de Junho do próximo ano não seja manchado por qualquer vírus.

Eduardo Ouana