O Século Online

Roxo Law

Paramount Trailers

Século Triweb Printers

Portugal destaca importância de retomar cimeiras com o Brasil ao fim de três anos de interrupção
31-Out-2016
Banco de Moçambique aumenta taxa de juro para 23,25% e avisa para nível crítico das reservas de divisas

O ministro dos Negócios Estrangeiros português destacou a importância de retomar as cimeiras entre Portugal e Brasil, após três anos de interrupção, referindo que a próxima reunião permitirá "passar em revista" as áreas da cooperação bilateral.

O primeiro-ministro português, António Costa, e o Presidente brasileiro, Michel Temer, reúnem-se na XII cimeira luso-brasileira, em Brasília, na próxima na terçafeira à tarde.

 "O mais importante na cimeira bilateral é ela realizar-se. Há aqui uma normalização de calendário que é muito importante", referiu, em entrevista à Lusa, o ministro Augusto Santos Silva.

A última cimeira bilateral decorreu em Lisboa, em junho de 2013, tendo ficado então acordado que a conferência seguinte decorreria em 2014, o que não aconteceu. O governante desdramatizou este intervalo e afirmou que as razões "são compreensíveis", lembrando que houve eleições em Portugal e "depois, houve um processo institucional" no Brasil, com a destituição da anterior Presidente, Dilma Rousseff.

 Esta cimeira, indicou fazerem uma passa, permitirá aos chefes de executivo de Portugal e Brasil "terem uma oportunidade de gem em revista sistemática das pastas da cooperação recíproca".

 "Há aí muita necessidade de fazer essa passagem em revista sistemática das áreas de cooperação, porque seja no plano da economia, da cultura, da educação, há muitos temas que exigem acompanhamento e alguns exigem um novo impulso", sustentou Santos Silva.

 O chefe da diplomacia portuguesa deu o exemplo da "cooperação fantástica" ao nível da aeronáutica, com os investimentos da Embraer em Portugal, e que "deve servir de inspiração noutras áreas", como a energia, mas também noutras áreas económicas ou ambientais.

 Em matéria de relações co-merciais, o ministro conside-rou que "há ainda hoje barreiras à importação de produtos portugueses no Brasil e haverá certamente barreiras no caso português que não fa-zem sentido, pelo menos com o nível de intensidade que apresentam".

 Por outro lado, as relações comerciais entre os dois países também devem ser enquadradas no "processo em curso tendo em vista a negociação de um acordo comercial" entre o Mercosul - a que o Brasil pertence - e a União Europeia, considerou Santos Silva, que lembrou que Portugal é um dos membros da UE que "mais batalhou pela abertura formal das negociações".

 Na XI cimeira, que decorreu em Lisboa, a então Presi-dente brasileira, Dilma Rousseff, destacou as relações comerciais "bastante significativas" entre os dois países, no contexto da crise económica.

 A declaração conjunta da cimeira apontava o intercâmbio académico como um dos aspectos mais "auspiciosos" do relacionamento entre os dois países, que decidiram também reforçar o combate ao crime organizado transnacional, promovendo a cooperação bilateral.

 
             
Coloque a sua publicidade aqui
Século Triweb Printers
Blue Sky
Roxo Law
Coloque a sua publicidade aqui
Século Triweb Printers
Blue Sky